Mover

Entrevista exclusiva: Banco Central se tornará um órgão de estado hoje, diz relator

Postado por: TC Mover em 10/02/2021 às 14:48
Banco Central - Costa Filho

Brasília, 10 de fevereiro – O relator do projeto de autonomia do Banco Central, o deputado Silvio Costa Filho, acredita que, por ampla maioria, a Câmara tornará hoje a instituição um órgão de estado. Segundo o parlamentar, a aprovação da proposta deve melhorar a classificação do país em agências de risco internacionais.

Na visão da maioria dos analistas de mercado, as decisões do Banco Central precisam estar livres de interferências políticas, como as decorrentes de oscilações na aprovação de governantes e parlamentares. Após quase 30 anos de debates, a Câmara deve concluir hoje a aprovação da matéria, prevendo mandatos de quatro anos não-coincidentes com os do chefe do Poder Executivo para os dirigentes da autoridade monetária. Confira a entrevista exclusiva de Costa Filho ao analista político da TC Mover Leopoldo Vieira.

TC Mover – Deputado, o senhor vê a Câmara aprovando o projeto de autonomia do Banco Central nesta quarta-feira? Há maioria para isso?

Silvio Costa Filho – O sentimento dos deputados é muito positivo para aprovar hoje que o Banco Central será um órgão de Estado, não de governo, após 27 anos de discussão no Congresso sem avanços. Com certeza, o projeto será aprovado por ampla maioria. A autonomia vai fortalecer muito a governança monetária no Brasil e, por isso, deve melhorar a nota do país em classificações de agências de risco internacionais.

TC Mover – Mesmo com a aprovação da autonomia, o senhor acredita que questões políticas ainda podem influenciar na ação do Banco Central? Sobretudo em contextos de crise política, há risco de pressões em maior grau para a autoridade monetária?

Costa Filho – Penso que não. As principais economias desenvolvidas do mundo já fizeram a experiência com seus bancos centrais autônomos. Ou seja, independentemente do governo de plantão, haverá governança monetária para controlar a inflação, fazer a gestão da taxa de câmbio e dos juros. Isso também vai ajudar o cidadão, pois o melhor aliado do emprego são os juros baixos, que estimula o investimento da pessoa física, que ela abra um negócio e gere renda. A gente dá hoje um sinal importante ao mercado internacional, para atrair também novos investimentos para portos, aeroportos, petróleo e gás, e saneamento.

Texto: Leopoldo Vieira
Edição: Bárbara Leite e João Pedro Malar
Arte: TC Mover


Leia também

TIM Brasil (TIMS3) quer trocar “volume por valor” e crescer em qualidade, diz Labriola

Congresso instala Comissão de Orçamento; presidente é aliada de Lira

Klabin (KLBN11) aposta em alta de celulose após receita e EBITDA baterem consenso

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais