Mover

Barros vê Congresso acelerando pauta econômica em dezembro

Postado por: TC Mover em 25/11/2020 às 12:43

Brasília, 25 de novembro – O mês de dezembro trará um avanço rápido da pauta econômica, acima das diferenças e objetivos que não sejam ajudar o país a sair da crise, aumentando a probabilidade de que sejam votadas, antes do recesso de janeiro, a Lei de Diretrizes Orçamentárias, LDO, para 2021, o Orçamento da União e a Proposta de Emenda à Constituição Emergencial, disse o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros.

Em entrevista concedida a Leopoldo Vieira, analista da TC Mover, Barros afirmou que tanto os senadores quanto os deputados entendem a prioridade da LDO, do Orçamento e da PEC Emergencial e, por isso, as diferenças serão superadas para votá-las. 

Em relação aos rumores de que o auxílio emergencial pode ser prorrogado, Barros reconheceu que é uma possibilidade em caso de uma segunda onda de Covid-19, mas destacou que não é a tendência porque a curva de mortalidade vem caindo. Como não haverá Orçamento de Guerra em 2021, não há como prorrogar o benefício, disse.

Expectativa de manter Teto de Gastos

As declarações de Barros contribuem para amenizar expectativas pessimistas do mercado em relação ao governo do presidente Jair Bolsonaro e seus aliados, sobretudo quanto ao programa de ajuste fiscal e a aprovação das reformas que permitam uma redução sustentável do endividamento do governo no longo prazo. 

O contrato de juros futuros com vencimento em janeiro de 2022 tem subido quase 0,8 ponto percentual desde início de agosto, quando dúvidas quanto à disposição de Bolsonaro de cortar o gasto público emergiram.

Esse contrato do DI recua hoje 2 pontos-base a 3,39%, por volta das 11h00. O dólar futuro, outro ativo usado como um termômetro de percepção de risco, tem valorizado quase 7% no mês. 

No entanto, o Parlamento estará à disposição do ministro da Economia Paulo Guedes e da equipe econômica para aprovar medidas para que o Teto de Gastos, o dispositivo constitucional que impede que as despesas correntes aumentem acima da inflação anual, seja mantido, afirmou Barros.

Autonomia do BC deve ser votada em dezembro

Barros minimizou os atritos recentes entre a base governista e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, dizendo que ambos têm interesse em votar matérias de interesse do Brasil e reiterou que “a pauta econômica avançará com rapidez” no mês que vem. 

Nas previsões do parlamentar, o projeto de Autonomia do Banco Central será votado ainda em dezembro na Câmara, com apoio da base aliada, e os vetos presidenciais ao Marco do Saneamento serão mantidos pelos deputados, pois nenhum líder na Casa se comprometeu com o acordo do Senado para que o artigo 16 do projeto não fosse vetado.

Texto: Leopoldo Vieira
Edição: Guillermo Parra-Bernal e Letícia Matsuura
Imagem: Barros e Bolsonaro/Twitter/TC Mover

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais