TC Mover
Mover

Especial: Lira surpreende e propõe que juros se ajustem à dívida

Postado por: TC Mover em 18/03/2021 às 15:07
Lira

Brasília, 18 de março – Em um claro esforço para sinalizar confiança ao mercado, o presidente da Câmara, Arthur Lira, disse hoje que os juros precisam subir mais para se ajustar à dívida brasileira. Mesmo parecendo ilógico na perspectiva de um político no poder, consideramos a assertiva correta.


Lira defendeu revisão da taxa de juros devido ao nível de endividamento do Brasil

A dívida bruta do governo geral fechou janeiro em R$6,670 trilhões, o que representa 89,70% do Produto Interno Bruto, PIB. “É incompreensível termos a maior dívida pública do mundo e a menor taxa de juros”, afirmou Lira.

A chamada relação dívida/PIB pode influenciar o juro de curto prazo pelo câmbio. O risco fiscal aumenta a saída de recursos, o que afeta a inflação. Lira defendeu que, com o atual nível de endividamento do país, a taxa de juros precisa ser revista “para que haja equilíbrio maior do câmbio”.

Os comentários de Lira vieram após o comitê decisório dos juros no Banco Central do Brasil, conhecido como Copom, elevar a taxa básica de juros, a taxa Selic, em 0,75 ponto percentual, a 2,75%. A decisão mostrou preocupação com as perspectivas da inflação acima da meta neste e no próximo ano.

Novo presidente da Câmara tem aprovado matérias de interesse do governo

Lira é um jogador de alto nível do Centrão, principal bloco da base governista no Congresso. O bloco é tradicionalmente associado à imagem de trocar apoio político por espaços de governo, sem uma definição política clara.

Mas, após se eleger presidente da Câmara em fevereiro, o deputado tem comandado votações com média superior a 300 apoios a matérias de interesse do governo e do Ministério da Economia.

Entre eles, estão a autonomia do Banco Central, a Proposta de Emenda à Constituição Emergencial, o Marco do Gás e a manutenção dos vetos ao Marco do Saneamento. Isso contrasta com o poder e disposição do predecessor, o deputado Rodrigo Maia, cujo desempenho foi tido como misto, se não como desfavorável, por muitos investidores.

Declaração mostra alinhamento com o ministro da Economia

Quando da aprovação da Lei de Autonomia do BC, Lira escreveu em suas redes sociais que “muito se especulou que a eleição das novas mesas do Congresso significariam o triunfo da politicagem em sua pior acepção, mas a realidade está mostrando o contrário”.

Na nossa avaliação, a declaração de Lira hoje sobre juros e dívida, assim como o destravamento da agenda econômica nesta semana, surpreende positivamente. Além disso, demonstra alinhamento total com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Texto: Leopoldo Vieira
Edição: Guillermo Parra-Bernal e João Pedro Malar
Arte: Vinícius Martins / TC Mover


Leia também

Especial: Restrições devem impactar ações de shoppings, que permanecem baratas

Especial: Magazine Luiza (MGLU3) tem sinal verde para compra de holding de pagamentos

Vieira: Centrão quer pragmatismo de Bolsonaro

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais