Mover

Ex-ministro Mandetta estreará na CPI da Covid

Postado por: TC Mover em 28/04/2021 às 19:26
Mandetta na CPI da Covid

Brasília, 28 de abril – O ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, abrirá, na próxima terça-feira, 4, as audiências da Comissão Parlamentar de Inquérito sobre as ações do governo no combate ao coronavírus, a chamada CPI da Covid. Possivelmente ele será questionado sobre seus conflitos com o presidente Jair Bolsonaro em torno das recomendações sanitárias e uso da cloroquina, assim como acerca de suas impressões sobre as primeiras ofertas de vacinas ao Brasil.


Ex-ministro deve alvejar ala ideológica e militares

Desta forma, deve começar a trilha para alvejar, ao mesmo tempo, expoentes da ala ideológica do governo e de militares mais próximos ao presidente, inclusive para poupá-lo, em primeiro momento, de ser envolvido diretamente nas apurações. O senador Ciro Nogueira, do pragmático Centrão e um dos principais conselheiros de Bolsonaro, foi escalado para reconstruir pontes com o relator, Renan Calheiros.

Alguns congressistas avaliam que as posições de Jair Bolsonaro sobre a pandemia visam agradar seus apoiadores ideológicos. Estes atrapalhariam a aceitação de conselhos de aliados centristas e são vistos como os mentores das manifestações avaliadas como hostis à instituições pelo chefe do Executivo. Por outro lado, são os que garantem a ele um patamar firme de intenção de votos e aprovação capaz de levá-lo direto ao segundo turno em 2022. Este sentido por enquanto é claro.

O presidente da comissão, Omar Aziz, rejeitou pressões para que o ministro da Economia, Paulo Guedes, fosse convocado para esclarecer suas declarações de que a China criou o vírus e produz imunizantes de qualidade inferior aos dos Estados Unidos. Já o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, disse que não responderá às críticas feitas pelo senador Flávio Bolsonaro, que chamou Pacheco de “ingrato”, para não “polemizar”.


CPI da Covid está em andamento a todo o vapor

O ex-ministro Mandetta é um dos presidenciáveis por uma alternativa de centro a Bolsonaro em 2022 mais bem avaliados, conforme pesquisas recentes, e sua participação pode promovê-lo, principalmente se polarizar com posições consideradas negacionistas do presidente.

Mas sua imagem também pode sair chamuscada por associação com supostos casos de corrupção a partir de questionamentos da base aliada a ele sobre compra de testes e respiradores durante sua gestão à frente da Saúde.

O senador governista Marcos Rogério preparou requerimentos que pedem a convocação dos governadores de São Paulo, João Doria, Rui Costa, da Bahia, Hélder Barbalho, do Pará, e Wilson Lima, do Amazonas – em linha com os apelos de Bolsonaro para que os estados sejam envolvidos na CPI da Covid. Será um teste para o pai do governador paraense, senador Jáder Barbalho, acerca de se manter isento no colegiado. Contudo, se aceitos, serão para reforçar o caráter técnico das investigações.


Segunda tentativa de bloqueio judicial a Renan Calheiros na CPI da Covid deve fracassar

Portanto, a terça-feira que vem abrirá uma etapa de alto ruído político, até porque deve fracassar uma segunda tentativa de bloqueio judicial a Renan Calheiros na CPI da Covid: o mandado de segurança protocolado nesta direção por senadores aliados do Palácio Planalto.

O ministro do Supremo Tribunal Federal, STF, Ricardo Lewandowski, será o relator. A tendência, no entanto, é que ele diga se trata de matéria interna do Senado, de acordo com a XP Política.

Texto: Leopoldo Vieira
Edição: Bárbara Leite e Letícia Matsuura
Imagem: Marcello Casal / Agência Brasil


Leia também

Movida aumenta lucro com aluguel de carros, e espera volatilidade

Inflação no Brasil não parece tão temporária, diz Credit Suisse

Nogueira: O Brasil tem muito a ganhar com a blockchain na luta contra a burocracia

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais