Mover

Favorito ao Senado, Pacheco defende prorrogar auxílio emergencial e azeda ativos

Postado por: TC Mover em 21/01/2021 às 16:04
pacheco - auxílio emergencial na pandemia

Brasília, 21 de janeiro – Algumas premissas econômicas terão que ser sacrificadas para que alguma forma de socorro seja mantida a pessoas com nível acentuado de pobreza, apesar do Teto de Gastos ser uma medida importante, disse hoje à Bloomberg Rodrigo Pacheco, considerado favorito à presidência do Senado.

Para o senador, há uma necessidade excepcional de ação do Estado devido aos óbitos pela Covid-19 e o desemprego causado pela crise da pandemia. Pacheco, no entanto, afirmou que se reunirá com o Ministério da Economia para construir um alinhamento e que, embora respeite tecnicamente a pasta, esta deve respeitar a sensibilidade política do Senado.

 

Pacheco é contra criação de novos impostos

 

A prioridade do congressista será a Reforma Tributária e Administrativa e ele não concorda com a criação de novos impostos, como o tributo digital, e com a taxação de grandes fortunas, caso o modelo tributário atual seja preservado. Pacheco também se declarou contrário a um processo de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro.

 

Ibovespa cai, enquanto DIs e dólar futuro sobem

 

 

O dólar futuro, que chegou a cair 1,12% com efeito Copom, virou e subia 1,44% a R$5,368 perto das 14h40. Os juros futuros, DIs, ampliaram as altas para até 15 pontos-base, com o candidato defendendo o auxílio emergencial.

A fala de Pacheco contribuiu também para o avanço dos DIs longos, que abriram em queda com a expectativa de uma Selic mais elevada antes do esperado, a maior oferta de NTN-Fs no leilão do Tesouro de hoje. O Ibovespa, que subiu 0,50% pela manhã, recuava 0,44% a 119.121 pontos.

Texto: Leopoldo Vieira
Edição Bárbara Leite e Letícia Matsuura
Imagem: TC Mover

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais