Febraban nega integrar manifesto com ataques ao governo - TC
TC Mover
Mover

Febraban nega participação de manifesto com ataques ao governo

Postado por: TC Mover em 30/08/2021 às 18:17
Febraban nega manifesto com ataques ao governo

São Paulo, 30 de agosto – A Federação Brasileira dos Bancos divulgou nota negando ter participado da elaboração de um manifesto de empresários com ataques ao governo ou à política econômica. A nota veio após representantes do governo criticarem a entidade. O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta segunda-feira, 30, que a Febraban teria sugerido um tom mais crítico a um manifesto em defesa da democracia, que seria divulgado nesta semana.

O objetivo inicial do texto seria acalmar os ânimos, exaltados diante dos atritos entre o presidente Jair Bolsonaro e ministros do Supremo Tribunal Federal e do Tribunal Superior Eleitoral. E em meio ao clima de tensão criado pela convocação por Bolsonaro de manifestações no 7 de Setembro.

Febraban diz que manifesto é de responsabilidade da Fiesp

Segundo a Febraban, o manifesto “A Praça é dos Três Poderes” foi articulado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. A Fiesp teria apresentado o documento na última quinta-feira às entidades empresariais, com prazo de resposta até as 17h de sexta-feira.

O manifesto, de acordo com a Febraban, foi elaborado em conjunto por representantes de vários setores, inclusive o financeiro, ao longo da semana passada. A ideia do texto era pedir serenidade, harmonia e colaboração entre os Poderes da República. E alertava para os efeitos do clima institucional nas expectativas dos agentes econômicos e no ritmo de atividade.

Ainda conforme a federação de bancos, o manifesto proposto pela Fiesp foi aprovado e nenhum outro documento foi analisado pela Febraban, que concordou em assinar o texto. Mas a decisão de publicação ficou a cargo da Fiesp.

Texto: Angelo Pavini
Edição: Clara Guimarães e Stéfanie Rigamonti
Imagem: Vinicius Martins / Mover


Leia também

Furacão Ida atinge petroleiras, refinarias e portos de exportação de grãos no sul dos EUA

Governo central tem déficit primário de R$19,8 bilhões em julho, melhor que consenso

IGP-M: Inflação do aluguel desacelera, mas crise hídrica continua pesando

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais