Mover

Foco da CPI da Covid é no governo federal, diz Renan Calheiros

Postado por: TC Mover em 03/05/2021 às 16:58
CPI da Covid

Brasília, 3 de maio – O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito do coronavírus, a chamada CPI da Covid, Renan Calheiros, disse em entrevista ao UOL que as investigações se concentrarão no governo federal, pois a sociedade não quer isentar o presidente Jair Bolsonaro de eventuais omissões e negligências no enfrentamento à pandemia.


Governadores não serão chamados para depor na CPI da Covid, afirmou Renan Calheiros

Segundo Renan Calheiros, “nenhum governador absolutamente” será chamado para depor. Ele alega que tentaram fazer da comissão “um biombo para investigar estados e municípios para isentar o presidente da República, mas não é isso o que a sociedade quer que faça”.

O senador falou que, para começar os trabalhos da CPI da Covid, reuniu “200 frases negacionistas” de Jair Bolsonaro. Além disso, Renan Calheiros já requisitou documentos do governo sobre tratamento precoce, a crise do oxigênio no Amazonas e as tratativas para compra de vacinas.


Governo indicou o ministro Onyx Lorenzoni para articular com senadores da comissão

Conforme o jornalista Valdo Cruz, do G1, o presidente Jair Bolsonaro escalou o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, para articular com os senadores da comissão.

O ministro, porém, é o único nome que Renan Calheiros não aceita como interlocutor do Palácio do Planalto, segundo ele mesmo disse à coluna Painel, da Folha de S. Paulo. Amanhã, a CPI da Covid ouvirá os ex-ministros da Saúde, Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich.


Ex-ministro pode alvejar ala ideológica e militares com participação na CPI da Covid

O agendamento do depoimento de Luiz Henrique Mandetta na comissão mostra o começo da trilha para alvejar, ao mesmo tempo, integrantes da ala ideológica do governo e militares próximos a Jair Bolsonaro. A medida, a princípio, pode servir para poupar o presidente.

O ex-ministro Luiz Henrique Mandetta é um dos presidenciáveis por uma alternativa de centro a Bolsonaro em 2022 mais bem avaliados, conforme pesquisas recentes. Sua participação na CPI da Covid pode promovê-lo, principalmente se polarizar com posições do presidente consideradas negacionistas.

Entretanto, a imagem do político também pode sair chamuscada por associação com supostos casos de corrupção a partir de questionamentos da base aliada a ele sobre compra de testes e respiradores durante sua gestão à frente da Saúde.

Texto: Leopoldo Vieira
Edição: Cintia Thomaz e João Pedro Malar
Arte: Vinícius Martins / TC Mover


Leia também

Especial: Pauta econômica avança com calendário mais claro

BTG Pactual prioriza papéis cíclicos em maio

Ministro da Saúde diz que Orçamento 2021 é insuficiente para o setor

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais