Governo não trabalha com hipótese de racionamento, diz ministro - TC
TC Mover
Mover

Governo não trabalha com hipótese de racionamento, diz ministro

Postado por: TC Mover em 25/08/2021 às 19:07
Governo não cogita racionamento

São Paulo, 25 de agosto   – O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse que o governo não trabalha com a hipótese de um racionamento de energia neste ano. A declaração veio em meio à crise hídrica, que tem pressionado os reservatórios das hidrelétricas, principal fonte de geração do Brasil.

A afirmação do ministro ocorreu durante coletiva de imprensa em Brasília que também contou com a presença de técnicos do setor elétrico. Eles apresentaram detalhes de um plano de incentivo à redução do consumo na indústria, já em vigor, e disseram que o governo prepara medida semelhante para clientes residenciais e empresas de menor porte, mas sem antecipar mais detalhes.

Governo estabelece corte em uso de energia na administração pública

O Scoop by Mover antecipou em 18 de agosto que o governo não tem planos de decretar um racionamento elétrico em 2021. Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro assinou decreto que estabelece meta de corte de 10% a 20% no uso de energia na administração pública até abril de 2022, devido à crise hídrica.

O secretário de Energia Elétrica do MME, Christiano Vieira, foi enfático ao negar a jornalistas que as medidas de incentivo a um consumo menor seriam uma forma de racionamento. “Quero colocar de forma muito assertiva que não se trata, de forma alguma, de racionamento como no passado, que quem não atinge a meta tem corte”. Ele se referia aos cortes de energia ocorridos em 2001 e 2002. Nessa época, o governo do então presidente Fernando Henrique Cardoso estabeleceu redução obrigatória de 20% no consumo de energia no país. Caso não cumprisse, estaria sob pena de multas ou cortes no fornecimento.

Os detalhes das medidas do governo para promover redução na carga ainda não foram divulgados. No entanto, Christiano Vieira disse que o plano para consumidores residenciais deve prever incentivos financeiros para quem cumprir metas. Segundo ele, os recursos para isso devem vir de encargos cobrados nas próprias contas de luz.

Texto: Luciano Costa
Edição: Gabriela Guedes e Letícia Matsuura
Imagem: Vinicius Martins / Mover


Leia também

Especial: Jerome Powell não deve falar sobre retirada de estímulos monetários no Simpósio de Jackson Hole

Paulo Guedes diz que governo corre risco de iniciar 2022 rompendo Teto de Gastos

Prévia da inflação acelera em agosto; energia e combustíveis pesam

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais