Greve de caminhoneiros: bloqueios são reduzidos em 35% - TC
TC Mover
Mover

Greve de caminhoneiros: Ministério da Infraestrutura informa redução nas tentativas de bloqueio

Postado por: TC Mover em 09/09/2021 às 16:42
Greve de caminhoneiros

São Paulo, 9 de setembro – O Ministério da Infraestrutura informou, por meio de sua conta no Twitter, que já houve redução de cerca de 35% nos bloqueios em rodovias federais. A pasta disse, ainda, que a Polícia Rodoviária Federal detectou, nesta tarde, pontos de concentração de caminhões em 13 estados, sem registros de interdições. Mais cedo, 15 estados eram impactados pela greve de caminhoneiros.

Segundo o ministério, a região Sul concentra mais da metade dos bloqueios, mas aglomerações ainda são registradas nos estados da Bahia, Mato Grosso, Pará, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Goiás, Maranhã, Rio de Janeiro e Tocantins.

Além disso, a PRF zerou a lista de pontos com algum impedimento de passagem de caminhões. Os protestos, que acontecem desde a última terça-feira, 7, são mais um sinal do mal-estar social causado pela alta dos combustíveis e a disparada da inflação.

Bolsonaro pede fim de paralisação

Na noite de ontem, o presidente da República, Jair Bolsonaro, publicou um áudio pedindo para que caminhoneiros aliados desmobilizassem a greve. Na mensagem, cuja veracidade foi confirmada pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, Bolsonaro chama a categoria de aliada.

O presidente pede a apoiadores para dissuadirem os grevistas, citando os potenciais danos que os protestos causariam na economia. E disse também que uma paralisação dos transportes pode provocar desabastecimento e inflação.

A divulgação do áudio aconteceu horas antes da publicação do IPCA de agosto, que mostrou uma aceleração no custo de vida da população, com a inflação chegando ao maior nível para o mês de agosto desde 2000.

Aumento dos combustíveis e os governadores

Bolsonaro tem reiterado nas últimas semanas que o aumento nos preços dos combustíveis é culpa dos governadores. Ibaneis Rocha, do Distrito Federal, e Cláudio Castro, do Rio de Janeiro, já criticaram a pressão por cortes no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços.

Esse é o principal argumento do presidente contra a escalada dos preços nos combustíveis. Os governadores argumentam que o corte no ICMS dos combustíveis prejudica os estados.

Caminhoneiros pedem renúncia de ministros do STF

Segundo a categoria, os protestos nos estados são em apoio ao governo do presidente Jair Bolsonaro, que na terça-feira defendeu a destituição de ministros do Supremo. Bolsonaro também disse que “não admitirá pessoas como [Alexandre de] Moraes açoitando a democracia e desrespeitando a Constituição”.

O grupo pede a renúncia dos ministros do STF e reivindica a diminuição do ICMS sobre combustíveis, além de melhores condições de trabalho.

Texto: Stéfanie Rigamonti
Edição: Gabriela Guedes
Arte: Vinícius Martins / Mover


Leia também

Especial: Paz entre Poderes depende de negociações apesar do tom de Bolsonaro

Barroso rebate ameaças de Bolsonaro e diz que “democracia vive momento delicado”

Vale sinaliza saída de operações não essenciais para ser mais enxuta

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais