TC Mover
Mover

Marcelo Queiroga contraria presidente sobre mortes na pandemia

Postado por: TC Mover em 08/06/2021 às 17:44
Marcelo Queiroga falou sobre subnotificação de mortes na pandemia

São Paulo, 8 de junho – O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que pode haver subnotificação de óbitos por Covid-19, contrariando assim o discurso do presidente Jair Bolsonaro. A declaração foi feito durante o segundo depoimento do ministro à Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga as ações do governo na pandemia, a CPI da Covid.


Presidente citou TCU ao falar de subnotificação, mas tribunal desmentiu informações

Sem apresentar provas, e mesmo depois de ser desmentido pelo Tribunal de Contas da União, TCU, Jair Bolsonaro insistiu que há indícios de exageros nos casos de infecção. A fala do presidente foi na contramão de especialistas que apontam as subnotificações existentes no país.

Ao lado de apoiadores, Jair Bolsonaro afirmou ontem que um suposto relatório do TCU comprovaria que quase metade dos óbitos registrados em decorrência da pandemia seriam duvidosos. As falas do presidente foram desmentidas em seguida pelo próprio TCU, e divergiram das de Marcelo Queiroga.

Hoje o presidente admitiu o erro em relação ao documento emitido pelo Tribunal. Ainda assim, Jair Bolsonaro voltou a afirmar que os dados divulgados de mais de 470 mil mortes não estão corretos e pediu que os governadores sejam investigados por supernotificação de óbitos pela Covid-19.


Marcelo Queiroga disse que hidroxicloroquina não tem eficácia comprovada contra a Covid-19

Marcelo Queiroga também contrariou o presidente ao admitir que a hidroxicloroquina não tem eficácia comprovada contra a Covid-19. Entretanto, ele se negou a retirar uma nota do Ministério da Saúde de agosto do ano passado que indica o medicamento.

Em relação aos imunizantes, o ministro também informou que o contrato de 100 milhões de doses da Moderna está próximo de ser pactuado. Ele reiterou que dúvidas sobre a eficácia da vacina Coronavac “não devem se confirmar”.

Durante o depoimento, Marcelo Queiroga também disse que o Brasil já garantiu vacinas suficientes para imunizar todos os adultos ainda em 2021.


Ministro reafirmou que não vê risco em realização da Copa América

Em meio às críticas sobre a realização da Copa América no Brasil, com a confirmação ontem da presença dos jogadores da seleção brasileira no torneio, o ministro voltou a dizer que não vê risco epidemiológico com a realização da competição no país.

De acordo com ele, diversos campeonatos, como o campeonato nacional, ocorreram no país. Marcelo Queiroga afirmou que não há provas de que torneios aumentariam a contaminação de atletas.


Marcelo Queiroga foi questionado sobre presença de Jair Bolsonaro em aglomerações

Os senadores decidiram reconvocar o ministro para que ele apresentasse explicações sobre a participação do presidente Jair Bolsonaro em aglomerações. O colegiado exibiu vídeos mostrando o presidente participando de aglomerações sem utilizar máscara.

Interrogado sobre a conduta de Jair Bolsonaro, Marcelo Queiroga disse que “as imagens falam por si”. Ele ressaltou, porém, que não é “censor” para julgar o posicionamento do presidente.


Médica Luana Araújo não era nome mais adequado para o cargo, afirmou o ministro

A presença do ministro também se tornou essencial após o depoimento da infectologista Luana Araújo, que havia sido convidada por Marcelo Queiroga para integrar a pasta, mas acabou sendo barrada pelo Planalto.

Segundo Marcelo Queiroga, a médica não era o nome mais adequado para fazer parte do ministério naquele momento. Ele informou que o substituto deve ser anunciado até a próxima sexta-feira, 11. No depoimento, Luana Araújo fez críticas severas à condução do governo federal na crise sanitária. O ministro segue sendo questionado na CPI da Covid até o momento.



Texto: Cintia Thomaz
Edição: Angelo Pavini e João Pedro Malar
Arte: Vinícius Martins / TC Mover


Leia também

Magazine Luiza compra processadora de cartões em nuvem

Banco Mundial eleva projeção do PIB global e do Brasil

Vieira: Apesar de adiamento, MP da Eletrobras deve cumprir prazo

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais