Paulo Guedes: governo pode iniciar 2022 rompendo o Teto - TC
TC Mover
Mover

Paulo Guedes diz que governo corre risco de iniciar 2022 rompendo Teto de Gastos

Postado por: TC Mover em 25/08/2021 às 15:00
Paulo Guedes diz que governo pode furar Teto de Gastos em 2022

Brasília, 25 de agosto – O ministro da Economia, Paulo Guedes, alertou nesta quarta-feira, 25, que o governo corre risco de iniciar o ano de 2022 rompendo o Teto de Gastos. A declaração acontece em meio ao aumento dos custos com precatórios e outras despesas obrigatórias.

“Não tenho como pagar R$90 bilhões hoje sem afetar o funcionamento da máquina pública. Se eu tiver de respeitar o Teto e respeitar a Lei de Responsabilidade Fiscal, o Orçamento pode se tornar inexequível”, afirmou Paulo Guedes durante coletiva de imprensa virtual para comentar os dados da arrecadação de julho. “Até mesmo dependendo do nível da inflação, eu já posso começar o ano que vem furando o teto, dependendo do nível em que as despesas obrigatórias subam”, completou.

Paulo Guedes solicita auxílio ao STF na modulação de decisões judiciais

Na esteira dos comentários, o ministro da Economia solicitou moderação ao Supremo Tribunal Federal. Guedes citou também as decisões judiciais contra a União envolvendo o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, ICMS, que somam valor superior a R$200 bilhões; apesar de não questionar o mérito.

“Precisamos sempre da compreensão do Supremo para a modulação desses impactos, não só precisamos, como temos certeza que seremos compreendidos”, complementou.

Índice Nacional de Preços ao Consumidor

O Teto de Gastos, criado em 2016, determina que o aumento de gastos federais do ano corrente seja limitado à inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, IPCA. No entanto, o governo olha também para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor, INPC, acumulado ao fim do ano. O índice corrige suas principais despesas, como Previdência, além do salário mínimo.

No acumulado de 12 meses até julho, o INPC registra alta de 9,85%. Uma inflação mais elevada até o fim do ano, portanto, pode reduzir a folga no Teto. Por outro lado, Paulo Guedes afirmou que os fundamentos fiscais são fortes e encontram-se no lugar. Em tom otimista, antecipou que o país pode voltar a registrar superávit primário já em 2022.

O ministro da Economia também mencionou ritmo de arrecadação, sinalizando recuperação expressiva. Ao comentar os dados, descartou haver correlação com o cenário inflacionário no país, e afirmou que todos os setores estão arrecadando melhor.

Texto: Gabriel Ponte
Edição: Guilherme Dogo e Stéfanie Rigamonti
Imagem: Vinicius Martins / Mover


Leia também

Crise hídrica no Brasil: Ministério de Minas e Energia aponta “relevante piora”

Prévia da inflação supera consenso e impera cautela para mercado: Espresso

Entrevista exclusiva: Mercado de games deve dobrar até 2025, estima gestor da Vitreo

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais