TC Mover
Mover

Presidente da Câmara nega que vai sancionar o Orçamento de 2021

Postado por: TC Mover em 13/04/2021 às 14:44
Presidente da Câmara - Arthur Lira

Brasília, 13 de abril – O presidente da Câmara, Arthur Lira, escreveu nesta manhã no Twitter que desmente “com veemência” o conteúdo de reportagem do jornal O Estado de S. Paulo segundo a qual poderia sancionar o Orçamento de 2021 como forma de resolver o impasse em torno da proposta.


Plano envolveria viagens do presidente Jair Bolsonaro e do vice-presidente Hamilton Mourão

Segundo o jornal, o presidente Jair Bolsonaro está sendo aconselhado a se ausentar do país para deixar a tarefa para Arthur Lira. O plano envolveria uma viagem também do vice-presidente Hamilton Mourão.

Arthur Lira afirmou na postagem que “o cidadão” merece uma apuração sem “disse me disse”. O presidente da Câmara disse também que o Orçamento será tratado por ele e pela Casa com responsabilidade. Para o analista de política da TC Mover, Leopoldo Vieira, notas dos consultores do Senado e da Câmara indicam que o Congresso chamou para si a responsabilidade política de liberar o texto.


Fala do presidente da Câmara ocorre em meio a rumores sobre retirada de despesas do Teto

A manifestação do deputado acontece em meio a rumores de que uma nova Proposta de Emenda à Constituição, PEC, para tirar despesas com a pandemia do Teto de Gastos está sendo considerada pela equipe econômica.

A medida abriria espaço para emendas parlamentares, resolvendo em parte o problema do Orçamento deste ano. A informação também é do jornal O Estado de S. Paulo, que trouxe a informação sobre o presidente da Câmara. Já a XP Política, citando integrantes do Palácio do Planalto e do próprio Ministério da Economia, afirmou que essa PEC “dificilmente deve vingar”.

Texto: Leopoldo Vieira
Edição: Lucia Boldrini e João Pedro Malar
Arte: Vinícius Martins / TC Mover


Leia também

Inflação nos EUA supera consenso, mas alivia temor de superaquecimento

Entrevista exclusiva: Álvaro Dias defende CPI da Covid-19 ampla e não vê insegurança jurídica

Especial: Apesar de incertezas, chuva de IPOs pode exceder R$24 bilhões em abril

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais