TC Mover
Mover

Próxima semana será importante para testar força de Lira

Postado por: TC Mover em 05/02/2021 às 11:15
Lira, novo presidente da C

Brasília, 5 de fevereiro – A próxima semana será o primeiro teste de força do novo presidente da Câmara, Arhur Lira, que já pautou para terça-feira o projeto de autonomia do Banco Central, com maioria para ser aprovado, segundo o líder do governo na Casa, Ricardo Barros. O texto atual inclui como objetivo do BC a busca pelo pleno emprego.

A aprovação de mandatos para autoridades do BC contribuirá com a maior previsibilidade dos juros e riscos fiscais, conforme analistas. A matéria terá que passar pela aprovação de um pedido de urgência.

 

Novo Marco do Câmbio foi pautado na Câmara

 

Os líderes da Câmara também pautaram o novo Marco do Câmbio, cujo texto principal foi votado no final de 2020, e permitirá que gradualmente brasileiros possam operar contas bancárias em moeda estrangeira. A tendência é favorável se superadas manobras oposicionistas.

Representando impactos negativos no mercado de crédito, os deputados analisarão o projeto que limita juros em consignados, para reduzir o superendividamento de consumidores na pandemia. O Senado terá reunião de líderes na terça-feira para definir suas prioridades.

 

Orçamento será aprovado até início de março, acreditam Lira e Pacheco

 

 

A Comissão de Orçamento será instalada na mesma terça, abrindo caminho para um novo auxílio emergencial dentro do Teto de Gastos. O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que pode haver uma outra rodada do benefício em versão mais focalizada, em troca da contenção de gastos.

Já a proposta orçamentária de 2021 deve ser aprovada até o início de março, conforme Lira e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, que definiram que as Propostas de Emenda à Constituição de ajuste fiscal, assim como as reformas Administrativa e Tributária são prioridades. A segunda terá seu relatório divulgado em fevereiro e a expectativa é de aprová-lo até outubro.

No contexto atual, o governo ainda não bateu o martelo sobre a redução de 35 para apenas cinco projetos prioritários, como anunciou Barros. Ontem, ele disse à CNN Brasil que a estratégia, por ora, será pedir a inclusão de pautas econômicas que precisam ser finalizadas por uma das Casas, como é a autonomia do BC e o Marco do Gás.

O deputado Marcelo Ramos, primeiro vice-presidente da Câmara, declarou que se as privatizações começarem pela Eletrobras ou Correios, pode haver dificuldades para formar maioria.

Texto: Leopoldo Vieira
Edição: Guilherme Dogo e Letícia Matsuura
Arte: TC Mover

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais