TC Mover
Mover

Roberto Dias admite que falou com Davati, mas nega propina

Postado por: TC Mover em 07/07/2021 às 14:54
Roberto Dias negou pedido de propina em negociação

São Paulo, 7 de julho – O ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde Roberto Dias admitiu que se encontrou com o cabo da política militar Luiz Paulo Dominguetti, mas negou ter pedido propina. Segundo ele, não deu segmento a uma suposta negociação com a empresa Davati por vacinas. A declaração foi feita nesta quarta-feira, 7, em depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga as ações do governo na pandemia, a CPI da Covid.

Ainda em sua fala, o ex-diretor chamou Luiz Paulo Dominguetti de “picareta”. O policial militar foi quem fez a acusação de pedido de propina em negociação para compra de vacinas da Astrazeneca. Entretanto, segundo o ex-funcionário do Ministério da Saúde, a tratativa não avançou pois a Davati nunca apresentou prova de que tinha representação dos imunizantes.

Roberto Dias negou que tenha sido indicado ao cargo pelo deputado Ricardo Barros

Questionado no início do depoimento, Roberto Dias afirmou que não foi indicado ao cargo pelo líder do governo na Câmara, o deputado Ricardo Barros. O ex-diretor foi exonerado do setor de logística logo depois que o jornal Folha de S. Paulo divulgou que Luiz Paulo Dominguetti o acusava de pedir propina US$1 dólar por dose de Astrazeneca que então se negociava.

Havia temor de que, por isso, o ex-funcionário do Ministério da Saúde fizesse acusações contra integrantes do governo de Jair Bolsonaro. Entreanto, isso não aconteceu até agora, e o depoimento de Roberto Dias na CPI da Covid prossegue.

Texto: Lucia Boldrini
Edição: Cíntia Thomaz, Letícia Matsuura e João Pedro Malar
Arte: Vinícius Martins / TC Mover


Leia também

BB-BI vê commodities e bancos afetados por Reforma Tributária

Varejo cresce dois meses seguidos, mas decepciona consenso

TC pretende levantar até R$844,5 milhões com IPO na B3

Mover Pro

Informação, análises e ideias de investimentos 24/7

Saiba Mais