O G Score para selecionar ações de crescimento - TC

TC School / Análise Fundamentalista

O G Score para selecionar ações de crescimento

23/04/2021 às 16:00

TC School

O que é e como usar o G Score para selecionar ações de crescimento? É este o tema do artigo de hoje!

O G Score é uma forma sistemática de selecionar ações de crescimento, retirando ações que apesar de apresentarem múltiplos de ações de crescimento, apresentam pouco histórico de rentabilidade ou alta incerteza.

Além dessa breve introdução sobre o que é o G Score, o artigo estará dividido em cinco partes. Portanto, a seguir, você irá encontrar:

  • Resumo e revisão sobre análise fundamentalista;
  • A métrica G Score de seleção de ações de Mohanrame (Mohanram, 2005);
  • Como calcular o G Score;
  • Aplicação da métrica no mercado de ações brasileiro;
  • Análise do desempenho da estratégia G Score;
  • Demais filtros para análise de ações.

Boa leitura!

Análise Fundamentalista

A nossa seção de Análise Fundamentalista aqui no TC School é recheada de métricas que oferecem uma medida rápida de como está a política de distribuição de resultados, como vai o desempenho da firma e a saúde financeira e como a empresa é avaliada em relação aos pares.

Recomendamos sempre a consulta dos nossos artigos sobre Análise Fundamentalista, e o estudo dos temas ali tratados para que você adquira mais e mais ferramentas para melhorar seus rendimentos em Bolsa de Valores.

No geral, o estudante da análise fundamentalista já deve ter percebido que os investidores fundamentalistas possuem um viés: eles adoram empresas sólidas e com múltiplos considerados baratos ou próximos de uma barganha. Este é o chamado investidor de valor que usa a value investing como filosofia de investimento.

Todavia, não existem apenas value investors no mundo e será que uma empresa com múltiplos altos não pode apresentar retornos altos? Esse questionamento não é desprovido de razão. Olha o retorno das empresas de tecnologia dos EUA e o índice de mercado S&P 500.

Elaboração própria com dados da Economatica

Na data da análise, os múltiplos dessas empresas eram altos! Hoje, os múltiplos continuam altos e mesmo assim elas superaram o índice S&P 500.

Sendo assim, não é de hoje que algumas pessoas tentaram separar o joio do trigo: buscar empresas com múltiplos de crescimento que realmente consigam atingir as expectativas de crescimento. Este é o objetivo da métrica que vou apresentar neste texto: o G Score – ou growth score, que é uma pontuação para selecionar empresas de crescimento.

O G Score

Ações com potencial de crescimento

O G Score é uma tentativa sistemática de selecionar ações de crescimento criada por Partha Mohanram, professor associado de finanças na Columbia University nos EUA.

Segundo Mohanram, o G Scorecombina fundamentos tradicionais, como lucros e fluxos de caixa, com medidas adaptadas para empresas em crescimento, como estabilidade dos lucros, estabilidade do crescimento das receitas e intensidade dos investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D), despesas de capital e publicidade, para criar um índice chamado G Score” (Mohanram, 2005).

Mohanram (2005) usa dados de demonstrações financeiras para criar sinais relacionados a duas aparentes ineficiências relacionadas ao processo de valuation das ações de crescimento: extrapolação ingênua dos fundamentos da empresa.

A “extrapolação ingênua dos fundamentos” é a tendência das pessoas em extrapolar o crescimento futuro das empresas. Algumas pessoas olham que uma companhia cresceu bastante no passado e acreditam que isso irá continuar por um período muito amplo.

Lembra daquele detalhe que aparece nas propagandas de remédios na televisão? “Retornos passados não são garantia de retornos futuros“. Para o crescimento das empresas funciona de forma parecida, então tenha bastante cuidado ao analisar empresas de crescimento.

Cálculo do G Score

Como elencamos acima, o G Score é a soma dos sinais fundamentalistas de crescimento. Os 8 sinais, rotulados de G1 até G8, são iguais a 1 se os critérios abaixo forem atendidos. Quanto mais próximo de 8, melhor:

Quadro 1 – Pontos do G Score

Elaboração própria.

G Score como uma estratégia vencedora de investimentos

Nos Estados Unidos, o retorno de uma estratégia usando o G Score é robusto. As empresas com alto G Score têm maior reação do mercado e surpresas nas previsões dos analistas com relação a anúncios de lucros futuros, o que é consistente com uma explicação de que o mercado de ações não estava avaliando bem essas empresas.

Além disso, os resultados são inconsistentes com uma explicação baseada no risco, uma vez que os retornos são positivos na maioria dos anos e as empresas com menor risco obtêm retornos mais elevados (Zacks, 2011).

Aplicação da métrica G Score no Brasil

Será que a métrica G Score funciona no Brasil? Só testando para saber!

A aplicação da métrica do G Score para uma pequena quantidade de ações requer acesso aos dados de balanço e de DRE (públicos). Porém, para aplicar em grande escala, é preciso ter acesso a provedores de bases de dados. Em adição, alguns dados em específico podem não estar disponíveis para todos os indicadores. Vamos falar dessas limitações durante a aplicação.

Nesta etapa, baixamos os dados de Retorno sobre os ativos (ROA), CAPEX, Fluxo de Caixa Livre e Ativo Total a partir de 1999, até 2020.

Em seguida, calculamos todas as variáveis que necessitavam de dados passados, com 5 anos de dados passados. Isso quer dizer que, o Desvio Padrão do ROA (G4) e o desvio padrão das receitas (G5) no ano T, foram obtidos com dados do ano T-6 até T-1. Logo, nossa amostra começou de fato em 2005.

Em adição, retiramos todas as ações que não possuíam dados completos para todas as variáveis. A Tabela 1, logo abaixo, apresenta a quantidade de ações que pontuaram em cada um dos scores.

O score mais difícil de pontuar é o G3: Fluxo de Caixa Sobre o Ativo e Retorno sobre o Ativo. Infelizmente, os dados para calcular o G6 e o G8 não estavam disponíveis em nossa base de dados – dado que a divulgação é feita apenas em notas explicativas. No geral, a maioria das empresas acumularam entre 3 e 4 pontos. Um pequeno grupo acumulou mais do que 5 pontos.

Tabela 1 – Elaboração própria com dados da Economatica.

Análise do desempenho da estratégia G Score no Brasil

Para testar o desempenho, montamos três carteiras de ações. A primeira é formada por ações com 0 até 2 pontos. A segunda é formada por ações com 3 até 4 pontos e a terceira é formada por ações com 5 até 6 pontos. Todo ano, o investidor calcula os pontos e monta essas três carteiras igualmente ponderadas. Ou seja, se 10 empresas formam a carteira, o investidor aloca uma quantidade igual em cada uma.

Se a carteira não apresentar ações aptas, o investidor aloca no CDI. Curiosamente, isso só aconteceu no primeiro ano, 2005, para a carteira de maior pontuação. Conforme o gráfico abaixo, as carteiras de G Score superaram em retorno o Ibovespa e o CDI. O mais absurdo é que o maior retorno foi obtido pela carteira formada pelo G Score entre 3 e 4 pontos.

Elaboração própria com dados da Economatica.

Alguns podem questionar se os retornos não estão muito absurdos. De fato, é possível que alguns retornos de ações individuais possam ser tão fora do comum que alterem os retornos das carteiras.

Para mitigar essa preocupação, empilhamos os retornos nas ações e cortamos os 2,5% maiores e os 2,5% menores. Isso reduz o efeito de valores extremos ocasionados por ações com pouquíssima liquidez, por exemplo.

O novo gráfico apresenta os retornos acumulados dos portfólios formados com base no G Score. Agora, os retornos parecem mais próximos da realidade.

Neste novo gráfico, a carteira formada pelas empresas com 5 a 6 pontos no G Score foi similar ao das empresas formadas com G Score entre 3 a 4 pontos, porém, as ações das empresas com G Score entre 3 até 4 apresentaram retornos menos voláteis.

Elaboração própria com dados da Economatica.

Demais filtros para análise de ações

Ferramentas da análise fundamentalista

Da mesma forma que podemos utilizar o G Score na análise do potencial crescimento de um ativo, é importante que o investidor também esteja ciente de outras ferramentas da análise fundamentalista. Confira abaixo alguns filtros/scores que já tratamos aqui no TC School:

Considerações finais

Finalmente, podemos considerar o G Score como uma forma de selecionar ações que apresentam características associadas com as ações de crescimento. Nos EUA, pesquisas apontam que ela gera retorno acima do mercado. Já no Brasil, apesar da pequena quantidade de dados, podemos dizer que as carteiras com G Score acima de 3 já apresentaram retornos acima do Ibovespa.

Isso quer dizer que isso vai se repetir? É claro que não. Retornos passados não garantam retornos futuros. Porém, a métrica apresenta uma boa capacidade em selecionar ações de empresas que apresentam características positivas e associadas com empresas que irão manter a continuidade dos negócios: empresas com alta rentabilidade, que geram fluxo de caixa e com receitas estáveis.

Vale a pena olhar algumas dessas métricas ao avaliar as ações das empresas. Não deixe de acompanhar nosso conteúdo educacional no YouTube do TC School.

Até a próxima!

Referências

Mohanram, P. 2005. Separating winners from losers among low book-tomarket stocks using financial statement analysis. Review of Accounting Studies 10: 133–170. Disponível em https://link.springer.com/article/10.1007/s11142-005-1526-4#citeas

Zacks, L. (2011). The Handbook of Equity Market Anomalies Translating Market Inefficiencies into Effective Investment Strategies. John Wiley & Sons, Inc., Hoboken, New Jersey

Lucas Nogueira
Lucas Nogueira
Analista de conteúdo do TC School
Mestre em Finanças pelo PPGA/UFPB

TC School

A sua escola como investidor.

Disclaimer: Este material é produzido e distribuído somente com os propósitos de informar e educar, e representa o estado do mercado na data da publicação, sendo que as informações estão sujeitas a mudanças sem aviso prévio. Este material não constitui declaração de fato ou recomendação de investimento ou para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários. O usuário não deve utilizar as informações disponibilizadas como substitutas de suas habilidades, julgamento e experiência ao tomar decisões de investimento ou negócio. Essas informações não devem ser interpretadas como análise ou recomendação de investimentos e não há garantia de que o conteúdo apresentado será uma estratégia efetiva para os seus investimentos e, tampouco, que as informações poderão ser aplicadas em quaisquer condições de mercados. Investidores não devem substituir esses materiais por serviços de aconselhamento, acompanhamento ou recomendação de profissionais certificados e habilitados para tal função. Antes de investir, por favor considere cuidadosamente a sua tolerância ou a sua habilidade para riscos. A administradora não conduz auditoria nem assume qualquer responsabilidade de diligência (due diligence) ou de verificação independente de qualquer informação disponibilizada neste espaço. Administradora: TradersNews Informação & Educação Ltda. Todos os direitos reservados.

TradersClub

O app essencial para investidores do mercado financeiro brasileiro.

Uma comunidade com milhares de investidores, ferramentas e serviços que vão ajudar você a investir melhor!

TradersClub