TC School / Análise Fundamentalista

O q de Tobin e o mercado de ações

18/01/2021 às 18:10

TC School TC School

Falar em mercado de ações é falar em investimentos. Dessa forma, o economista norte-americano James Tobin, propôs uma medida para que as empresas avaliem as suas decisões de investimento levando em conta algumas variáveis que ficou conhecida como o “q de Tobin”.

  • A relação entre o nível de investimento e o mercado de ações
  • O que afeta o nível de investimento em uma economia?
  • James Tobin e o q de Tobin
  • Como analisar o q de Tobin?
  • Valor de reposição dos ativos: como calcular?

Boa leitura!

A relação entre o nível de investimento e o mercado de ações

A atividade no mercado de ações e o nível de investimento na economia possuem uma certa correlação. Quando uma empresa abre o capital, o volume financeiro captado geralmente é utilizado nos projetos de expansão que, por sua vez, resulta em investimentos em capital físico e mais geração de emprego e renda.

Além disso, o preço das ações possui uma tendência de alta quando há uma perspectiva de investimentos lucrativos, que implica em um retorno maior para os acionistas. Sendo assim, o preço das ações reflete de certa forma os incentivos para o investimento.

O que afeta o nível de investimento em uma economia?

Diante disso, vale salientar que as decisões de investimentos por parte das empresas levam em conta inúmeros fatores que resultam em um maior ou menor nível de investimento. Os preços, os produtos, as tecnologias, além das expectativas políticas e econômicas, são alguns dos fatores que influenciam o dispêndio com investimentos. Afinal, o nível de investimento em uma economia interfere diretamente na performance econômica.

Entretanto, dado que o nível de investimento é afetado por diversos fatores, há uma certa dificuldade em explicar as variações destes níveis, visto que decorrem de uma certa quantidade de fatores.

James Tobin e o q de Tobin

Desta forma, o economista norte americano James Tobin, ganhador do prêmio Nobel de economia em 1981, sugeriu que as empresas levassem em consideração a seguinte relação para as decisões de investimentos. A fórmula ficou conhecida como o “q de Tobin”. Veja como calcular:

O valor da empresa é dado pela soma do valor de mercado da companhia. Ou seja, o preço multiplicado pelo número de ações acrescido do valor das dívidas da companhia. Já o valor das dívidas é dado pelo passivo circulante menos o ativo circulante mais o valor das dívidas de longo prazo.

Além disso, o valor de reposição dos ativos demonstra o volume financeiro mínimo para a compra de toda a capacidade produtiva da organização com a mais moderna tecnologia disponível.

Como analisar o q de Tobin?

Entendido como é feito o cálculo do q de Tobin, partimos então para a análise desse indicador. Há três cenários possíveis para o valor do q. Ou seja, o q de Tobin pode ser igual, menor ou maior do que um. Dessa forma temos:

Q maior do que um

Caso a relação entre o valor da companhia e o valor de reposição dos ativos seja maior do que um, demonstra que o valor de mercado da empresa é maior do que o custo de aquisição do capital instalado. Logo, há incentivos para o investimento, dado que o valor do capital investido é maior do que o seu custo.

Q menor do que um

Um q de Tobin menor do que um implica dizer que o valor de mercado da empresa é menor do que o custo de reposição dos ativos. Sendo assim, não há incentivos para os investimentos porque o valor capital investido é menor do que o custo de reposição.

Q igual a um

Neste caso, o q demonstra uma relação igual entre o valor da organização e o custo de reposição do capital instalado, ou seja, o valor da firma é igual ao custo de reposição dos ativos. Dessa forma, o valor do capital investido é igual ao custo de reposição.

Valor de reposição dos ativos: como calcular?

Todos devem concordar que encontrar o valor da empresa é uma tarefa mais fácil porque temos os dados disponíveis facilmente. Entretanto, o calcanhar de Aquiles no q de Tobin é o valor de reposição dos ativos da companhia.

Sendo assim, Chung e Preuitt propuseram em 1994 um modelo simplificado do q de Tobin onde “solucionou” o problema de mensuração do custo de reposição dos ativos.

Dessa forma, esse modelo simplificado considera como custo de reposição dos ativos o valor contábil dos ativos totais da empresa, que está disponível no balanço patrimonial.

Portanto, o q de Tobin pode ser mais uma ferramenta para analisar as empresas com o objetivo de fazer a melhor decisão de investimentos. Entretanto, é importante lembrar que uma boa análise fundamentalista não leva em consideração só os indicadores, mas todo o contexto.

Referências

MANKIW, N. Gregory. Macroeconomia. LTC, 2014.
PEREIRA, B. L., MARTINS, E., BEIRUTH, A., BARADEL, E., & KUHL, C. (2014). Tobin pergunta: O que aconteceu com o meu Q. In CONGRESSO USP DE CONTROLADORIA E CONTABILIDADE (Vol. 14).
SANTOS, L. M., et al. (2011). Análise do Q de Tobin como determinante do investimento das empresas brasileiras. In Revista de Administração FACES Journal, 10(3), 65-82.

Vitor Nayron Moreira de A. Marques
Vitor Nayron Moreira de A. Marques
Estagiário do TradersClub
Graduando em Economia pela UFPB. Membro do Projeto Educação Financeira Para Toda a Vida.

TC School

TC School

Disclaimer: Este material é produzido e distribuído somente com os propósitos de informar e educar, e representa o estado do mercado na data da publicação, sendo que as informações estão sujeitas a mudanças sem aviso prévio. Este material não constitui declaração de fato ou recomendação de investimento ou para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários. O usuário não deve utilizar as informações disponibilizadas como substitutas de suas habilidades, julgamento e experiência ao tomar decisões de investimento ou negócio. Essas informações não devem ser interpretadas como análise ou recomendação de investimentos e não há garantia de que o conteúdo apresentado será uma estratégia efetiva para os seus investimentos e, tampouco, que as informações poderão ser aplicadas em quaisquer condições de mercados. Investidores não devem substituir esses materiais por serviços de aconselhamento, acompanhamento ou recomendação de profissionais certificados e habilitados para tal função. Antes de investir, por favor considere cuidadosamente a sua tolerância ou a sua habilidade para riscos. A administradora não conduz auditoria nem assume qualquer responsabilidade de diligência (due diligence) ou de verificação independente de qualquer informação disponibilizada neste espaço. Administradora: TradersNews Informação & Educação Ltda. Todos os direitos reservados.

TradersClub

O app essencial para investidores do mercado financeiro brasileiro.

Uma comunidade com milhares de investidores, ferramentas e serviços que vão ajudar você a investir melhor!

TradersClub