TC School / Contabilidade financeira

A conversão monetária de demonstrações contábeis

01/02/2021 às 17:00

TC School TC School

Nesse texto, trataremos sobre a conversão monetária nas demonstrações contábeis, mostrando assim que empresas podem divulgar seus dados, em mais de uma moeda. Assim, para melhor guia o leitor, o texto estarão divididos nos seguintes tópicos:

  • Conceitos
  • Reconhecimento
  • Divulgação
  • Exemplo prático: Suzano Celulose (SUZB3)

Boa leitura!

Conversão monetária: conceitos básicos

Antes de nos aprofundar no processo de reconhecimento e divulgação das informações, apresentaremos alguns conceitos importantes para que o leitor melhor entenda o processo de conversão monetária nas demonstrações contábeis da empresa.

Moeda de apresentação

O primeiro conceito é a moeda de apresentação, pois quando o investidor estiver lendo alguma demonstração contábil, ele deverá buscar observar qual é a moeda de apresentação dessas demonstrações financeiras, uma vez que essa será a moeda na qual os relatórios contábeis serão apresentadas.

Moeda funcional

Também temos a moeda funcional que é a moeda que representa o local onde a companhia tem sua maior participação. Um exemplo são as empresas de commodities que tem como moeda de apresentação o Real (R$), mas como moeda funcional o Dólar (US$), uma vez que a maior parte das suas negociações são no mercado externo.

Outro conceito importante é a taxa de fechamento, essa taxa vai evidenciar qual foi a taxa de cambio à vista vigente no término do período que as demonstrações vão ser apresentadas.

Conversão monetária: reconhecimento

Depois de entender os principais conceitos, iremos agora abordar o processo de reconhecimento da conversão monetária que é apresentado pelo CPC 02 (R2).

CPC-02

De acordo com a norma, uma transação em moeda estrangeira pode ser classificada em três possíveis operações que são:

  1. Compra ou venda de bens ou serviços, onde o preço está fixado em moeda estrangeira;
  2. Obtenção ou concessão de empréstimos que estão fixados em moeda estrangeira; e
  3. Outra movimentação que estejam fixadas em moeda estrangeira.

Neste sentido, após identificar essa transação, a companhia deverá fazer o reconhecimento no momento que a transação é identificada. Esse reconhecimento inicial se dará por meio da moeda funcional, com a aplicação da taxa de cambio à vista, entre a moeda funcional e a moeda estrangeira utilizada na transação financeira.

Deve-se lembrar que a contabilidade da empresa, no momento da divulgação dos demonstrativos contábeis, deve ter convertida todas as moedas estrangeiras com base na taxa de cambio do fechamento, correlata a data de fechamento das demonstrações contábeis.

As variações cambiais, provenientes dessas operações, deverão ser admitidas no momento do reconhecimento da transação, e em seguida, divulgada nas demonstrações contábeis da companhia.

Contudo, caso a empresa opte pela alteração na sua moeda funcional, deverá aplicar todos os procedimentos de conversão a partir do dia que essa nova moeda funcional passe a ser utilizada pela organização.

Existem casos em que a companhia possui uma moeda de apresentação diferente da sua moeda funcional, nesses casos, a companhia deverá converter todos os seus números para a moeda de apresentação escolhida pela empresa.

Divulgação

De acordo com a norma, as empresas deverão divulgar as seguintes informações:

  1. O montante das variações cambiais reconhecidas na demonstração do resultado, com exceção daquelas originadas de instrumentos financeiros mensurados ao valor justo por meio do resultado, de acordo com o CPC-48;
  2. Variações cambiais líquidas reconhecidas em outros resultados abrangentes e registradas em conta específica do patrimônio líquido, e a conciliação do montante de tais variações cambiais, no início e no final do período.

Em casos que a companhia possui moeda funcional diferente da sua moeda de apresentação, ela deverá divulgar:

  1. Identificar claramente as informações como sendo informações suplementares para distingui-las das informações que estão de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil;
  2. Divulgar a moeda utilizada para essas informações suplementares; e
  3. Divulgar a moeda funcional da entidade e o método de conversão utilizado para determinar as informações suplementares.

Demonstrações contábeis

Exemplo prático: Suzano Celulose

Para fins de exemplo, utilizaremos as demonstrações contábeis da Suzano Celulose (SUZB3). A escolha se deve pelo fato da companhia ter uma moeda de apresentação diferente da sua moeda funcional.

Conforme o texto abaixo, a companhia apresenta suas políticas contábeis, dentre elas, evidencia os motivos que fizeram com que a companhia realizasse essas mudanças.

3.1 Novas políticas contábeis e mudanças nas políticas contábeis adotadas
3.1.1 Conversão para moeda de apresentação

Devido à incorporação da Fibria, a companhia efetuou várias mudanças na estrutura, atividades e operações durante o exercício de 2019 e que levaram a Administração a reavaliar a moeda funcional de suas subsidiárias integrais cuja moeda funcional era diferente do Real (R$).

Mercado de Ações

A gente comunica com clareza para motivar a confiança de vocês! Queremos o desenvolvimento de cada um, do seu jeito, com responsabilidade e segurança. Olha só quanto material interessante sobre o mercado de ações temos aqui no TC School:

Baixe nosso app grátis! No TC você acompanha as principais notícias e cotações do mercado em tempo real, além de ter acesso a canais exclusivos para interagir com os melhores profissionais.

Estude e conheça! Aprenda com quem realmente entende de investimentos. Tire dúvidas, troque ideias, experiências e construa uma grande rede de networking com investidores de todo Brasil.

A gente também está no Instagram, YouTube e no TikTok. Acompanhe!

Ígor Leite
Ígor Leite
Contador e Mestre em Ciências Contábeis pelo PPGCC/UFPB
Contribui com textos educativos para o TC School

TC School

TC School

Disclaimer: Este material é produzido e distribuído somente com os propósitos de informar e educar, e representa o estado do mercado na data da publicação, sendo que as informações estão sujeitas a mudanças sem aviso prévio. Este material não constitui declaração de fato ou recomendação de investimento ou para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários. O usuário não deve utilizar as informações disponibilizadas como substitutas de suas habilidades, julgamento e experiência ao tomar decisões de investimento ou negócio. Essas informações não devem ser interpretadas como análise ou recomendação de investimentos e não há garantia de que o conteúdo apresentado será uma estratégia efetiva para os seus investimentos e, tampouco, que as informações poderão ser aplicadas em quaisquer condições de mercados. Investidores não devem substituir esses materiais por serviços de aconselhamento, acompanhamento ou recomendação de profissionais certificados e habilitados para tal função. Antes de investir, por favor considere cuidadosamente a sua tolerância ou a sua habilidade para riscos. A administradora não conduz auditoria nem assume qualquer responsabilidade de diligência (due diligence) ou de verificação independente de qualquer informação disponibilizada neste espaço. Administradora: TradersNews Informação & Educação Ltda. Todos os direitos reservados.

TradersClub

O app essencial para investidores do mercado financeiro brasileiro.

Uma comunidade com milhares de investidores, ferramentas e serviços que vão ajudar você a investir melhor!

TradersClub