TC School / Curso Primeiros Passos

Conceitos importantes sobre investimentos

11/03/2021 às 16:06

TC School TC School

Um curso de investimentos é repleto de conceitos importantes. Portanto, quando tentamos entender melhor sobre finanças, mercado de ações, avaliar uma empresa, compreender cenários ou fazer projeções sobre um setor da Bolsa de Valores, precisamos ter clareza sobre alguns termos que serão recorrentes em nossas leituras e vida como investidores.

Dessa forma, no texto a seguir, iremos expor alguns conceitos sobre investimentos com intuito de facilitar o processo de compreensão dos estudos sobre finanças, contabilidade, economia e mercado financeiro. É um mini curso para aprender sobre investimentos. Para deixar as coisas mais simples, elencamos o artigo nos seguintes tópicos:

Boa leitura!

curso sobre investimentos

Investimentos em renda fixa

O que é renda fixa?

Renda fixa é uma modalidade de investimento em que as taxas de retorno são pré-estabelecidas e menos imprevisíveis, mas note que a renda fixa não são reconhecidas em termos de retorno financeiro ou percentual. Desta forma, um investimento em renda fixa pode estar ligado a um indexador (CDI, Taxa Selic, IGP-M, IPCA), uma taxa pré-fixada ou um misto entre as duas.

Elencamos abaixo 2 exemplos de investimentos em renda fixa no Brasil:

  1. NTN-B, que são as Notas do Tesouro Nacional classe B, e pagam uma taxa pré-fixada + a variação do IPCA; e
  2. LTN, que são as Letras do Tesouro Nacional, e pagam uma taxa pré-fixada.

Esses títulos exemplificados acima são conhecidos como títulos públicos (títulos lastreados em dívidas do governo). No entanto, existe um mercado privado em que temos: CDB´s, LCI´s, LCA´s, letras de câmbio, entre outros diversos instrumentos de dívida.

A ressalva fica que investimentos em renda fixa podem não ser a melhor opção em alguns cenários. Afinal, dependendo da inflação e taxas contratadas é possível até mesmo ter prejuízo no seu investimento de renda fixa. Os cenários mais comuns em que podemos observar esse tipo de fenômeno são:

  • Resgate antecipado

Alguns títulos têm cláusulas que permitem antecipação, essa antecipação do título pode gerar algum tipo de prejuízo;

  • Marcação a mercado

Como a maioria dos produtos de investimento, boa parte dos títulos são marcados a mercado e podem apresentar rentabilidade negativa dependendo das taxas que estão sendo negociados;

  • Indexador negativo

Além disso, também podem apresentar rentabilidade negativa se o indexador atrelado a ele apresentar rentabilidade negativa, como por exemplo a deflação (inflação negativa); e

  • Default

No caso do não pagamento parcial ou total do título também haverá uma perda financeira. Vale salientar que alguns títulos possuem garantias de execução caso isso aconteça, mas é importante apresentar o risco.

De forma resumida, vale sempre a máxima: “renda fixa também varia”. Pode parecer irônico, mas é um fato. No TC temos diversos textos para ajudar você a entender melhor e com muito mais detalhes o universo dos investimentos em renda fixa.

Investimentos em renda variável

O que é renda variável?

A renda variável pode ser considerada a classe de investimento mais famosa entre os investidores atualmente, basta olhar para o aumento significativo no número de pessoas físicas que entraram na B3 – a Bolsa de Valores do Brasil nos últimos anos.

Tal fato se deve à baixa taxa de juros se compararmos com as taxas de juros históricas do país, forçando o investidor a tomar mais risco para obter melhores retornos. Ou seja, se com as altas taxas de juros é possível ter até 1% de rendimento na renda fixa com pouco risco, com as taxas de juros mais baixas, esse rendimento já não é mais possível. Para obter ganhos mais expressivos, o investidor precisa migrar para a renda variável.

De certa forma, não é possível definir o que é renda variável, sem ser prolixo, sendo assim, renda variável nada mais é que uma modalidade de investimento em que os retornos variam e os fatores ou proxies de retorno são ainda menos controladas, ou sequer pré-estabelecidas.

No universo de renda variável praticamente tudo é possível. Existe uma gama exaustiva de produtos financeiros e diariamente a indústria financeira lança novos formatos de investimentos.

Elencamos abaixo 6 exemplos de investimento em renda variável no Brasil:

  1. Fundos imobiliários
  2. Ações
  3. Opções
  4. Contratos futuros
  5. Fundos de investimentos
  6. Criptomoedas

Para facilitar a compreensão, confira vídeo onde explicamos no detalhe o que é uma ação:

Como vimos, uma ação representa um percentual societário de uma empresa. Dessa forma, ao contrário da renda fixa, não existe rentabilidade ou indexador pré-estabelecido que consiga controlar de forma absoluta o valor dessa ação no mercado de capitais.

Nesse contexto, as ações das empresas listadas na Bolsa de Valores são controladas por diversas variáveis que compõem a sua precificação. Posteriormente, estudaremos mais a fundo as teorias e estratégias da análise fundamentalista e da análise técnica.

Por ora, apresentamos um estudo feito para o Master Fundamentalistao canal Master de Análise fundamentalista do TC, que expõe dois métodos de análise diferente para tentar avaliar e entender como poderia ser analisada a trajetória de uma ação a luz da análise técnica e fundamentalista.

Você é capaz de aprender a investir. Estude e conheça mais sobre investimentos em renda variável. Se liga só quantos textos temos no TC School falando sobre aspectos da renda variável:

Investimentos

Os riscos de um investimento

A definição de risco é complexa devido às diversas vertentes e formas que ele pode tomar. Nesse contexto, de forma acadêmica, o risco total pode ser dividido em risco sistemático e não sistemático.

Para esclarecer os conceitos, podemos dizer que o risco sistemático é representado pelo Beta e o risco não sistemático é representado pelos riscos específicos do negócio (risco de mercado, risco de liquidez, risco cambial, risco político, entre outros).

No entanto, para fins de simplificação nesse primeiro momento, consideramos o risco como sendo a possibilidade de perda. Portanto, a possibilidade de depreciação do patrimônio de forma momentânea (ou não) será considerada como um risco.

Para facilitar a compreensão, confira vídeo onde explicamos no detalhe como analisar o risco e o retorno de sua carteira de ações:

Taxa Selic

O que é a Taxa Selic?

Talvez essa seja a taxa mais importante da economia brasileira. Ela é responsável por definir a taxa básica de juros e ser a referência para todo o restante da economia. A taxa Selic é definida pelo Copom – Comitê de Política Monetária, que é um órgão do Banco Central. Essa decisão é tomada a cada 45 dias sobre uma nova taxa básica de juros.

A imagem abaixo apresenta a taxa Selic ao longo de 2020 e 2021:

Fonte: Banco Central do Brasil

CDI – Certificado de Depósito Interbancário

Entenda o CDI

CDI é o Certificado de Depósito Interbancário. É o título que lastreia as operações de empréstimo interbancárias (entre dois bancos). Muitas vezes, a taxa paga entre as instituições financeiras é usada como referência para indexar títulos privados e outros contratos ou compromissos financeiros.

Além disso, é importante ressaltar que existe uma relação entre a taxa Selic e o CDI, em que a essa taxa historicamente fica próxima à taxa Selic vigente, mas levemente abaixo na maior parte do tempo. Confira no gráfico abaixo:

Fundos de investimentos

O que são fundos de investimentos?

Para ficar fácil de entender, um fundo de investimento nada mais é do que um condomínio onde as pessoas ou instituições colocam seus investimentos visando um objetivo comum. Na maioria das vezes, investir seu capital e obter retornos expressivos no longo prazo.

Atualmente, existe uma diversidade enorme de fundos de investimentos. Apenas no Brasil são mais de 25 mil opções deste tipo de ativo. Os fundos podem operar inúmeras estratégias de investimentos, como ações, multimercado, renda fixa, long and short, entre outras.

Como dissemos, existem milhares de fundos de investimentos no país. Em geral, esses fundos são administrados por gestoras de ativos, tais como Alaska Asset, Verde Asset, Bahia Asset e Empírica Investimentos.

Cotas dos fundos

Essa é a forma com que o fundo é precificado, ou seja, se a cota quando o fundo foi constituído era 1, mas no final de um período ele tiver rentabilizado 12% o patrimônio, a cota valerá 1,12.

Fonte: Infofundos

Liquidez

Quando falamos de investimentos, é importante nos atentarmos para a liquidez. O que é liquidez nos investimentos? De forma simplória, é conseguir vender ou comprar um instrumento financeiro em uma velocidade hábil sem que esse instrumento sofra uma “punição” por ter sido negociado de forma tão ágil.

Para ficar claro, vamos a um exemplo prático:

Para que um negócio aconteça, ou o vendedor deve aceitar vender ao preço que o comprador esteja querendo pagar ou o comprador aceita comprar ao preço que o vendedor esteja querendo vender. Ou seja, quanto maior essa diferença (“spread”), maior será o impacto negativo no preço de venda (compra).

Além disso, em um fundo de investimento, deve ser analisado tanto o prazo de liquidação (D+3, normalmente), quanto o prazo de cotização (o tempo que o fundo leva para transformar as cotas em dinheiro, a partir da data que o investidor pede o resgate, podendo assim, sofrer depreciação da cota). O prazo de cotização é uma medida que os fundos de investimento tomam para que, se houver um resgate muito grande, uma possível venda dos ativos de seu portfólio não tenham impacto sobre a liquidez do mercado).

O trade-off entre liquidez e retorno

Portanto, os títulos com liquidez são facilmente convertidos em dinheiro. Além disso, não corre praticamente nenhum risco de mercado. No entanto, o fato de possuírem certa liquidez diminui significativamente o retorno dos investimentos, demonstrando que existe um trade-off entre liquidez e retorno.

Os títulos sem liquidez, por sua vez, são títulos sem garantia de recompra. No entanto, alguns possuem mercado secundário para negociação, mas também com risco de mercado.

Agentes do mercado

Quem é quem no mercado financeiro

  • Corretora

A corretora é responsável por intermediar as transações entre o investidor e a Bolsa de Valores. Ela recebe por corretagem e taxas de serviço. Para o investidor iniciante, é importante entender o que sua corretora ganha com você e como ela ganha. É preciso evitar o conflito de interesse.

  • Banco de investimento

Os bancos de investimento são responsáveis por grandes operações de crédito, investimentos e gestão de fortunas. IPOs – Initial Public Offering, por exemplo, são feitos em grande maioria por um consórcio dessas instituições financeiras.

  • Agentes autônomos

Os agentes autônomos são responsáveis em dar suporte aos clientes da corretora, entretanto, não são autorizados a recomendar e, a priori, não são capacitados para isso. Portanto, só podem expor o que a corretora possui como opções, além de executar ordens solicitadas e autorizadas pelo cliente.

  • Gestor de fundos

O gestor de fundos é responsável por gerir o patrimônio dos fundos de investimentos.

  • Casas de análise

As casas de análise são responsáveis por produzir relatórios e recomendações de investimentos (sell side) para público em geral.

  • Analistas de investimento

Os analistas de investimentos analisam e recomendam investimentos. Este grupo de profissionais podem ser subdivididos em dois subgrupos: o buy side e o sell side.

  1. O analista buy side faz análises orientadas para uma instituição (gestora, banco e asset) ou cliente específico (empresários e grandes investidores).
  2. Já o analista sell side produz relatórios para a venda ao público em geral, fazendo recomendações de produtos e/ou carteiras de ações de forma sistematizada. Essa venda também pode ocorrer para pessoas ou instituições (casas de análise e relatórios para bancos), contudo geralmente o foco são produtos para pessoas físicas.
  • CVM – Comissão de Valores Mobiliários

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) é a instituição responsável por fiscalizar, regular e fomentar o mercado de capitais no Brasil.

  • Banco Central do Brasil (Bacen)

O Banco Central (Bacen) é a instituição responsável por conduzir a política monetária do país. Além disso, executa as diretrizes do Conselho Monetário Nacional (CMN).

  • Traders

Traders nada mais são do que os negociantes (tradução da palavra) do mercado financeiro. Pragmaticamente falando, todos os investidores são em alguma medida traders, entretanto, o mercado se habituou a chamar de traders os especuladores de curto e médio prazo que se aproveitam de fluxos, assimetrias e possibilidades de ganhos rápidos.

Você é capaz de aprender a investir. Estude e conheça mais sobre operações no mercado de ações. Se liga só, por exemplo, nesses artigos que falamos sobre day trade, robô trader e gerenciamento de risco dos traders.

O mercado de ações

O que é o mercado eficiente?

A eficiência do mercado

Essa é uma que hipótese foi formulada na década de 1960 pelo economista americano Eugene Fama. E, desde então, a teoria vem sendo debatida pelos estudiosos e especialistas do mercado, trazendo tanto posições que concordam com a ideia e outras que questionam sua validade.

Nesse contexto, a hipótese do mercado eficiente é uma teoria de investimento que fundamenta que os preços do mercado sempre refletem todas as informações existentes. Sendo assim, segundo a hipótese, não existem ações baratas ou caras — já que o mercado eficiente sempre precifica a cotação de uma ação no seu valor justo.

As 3 principais formas da hipótese de eficiência do mercado acionário são:

  1. A hipótese fraca considera que os preços negociados para os bens (por exemplo, ações, obrigações ou propriedade) refletem toda a informação histórica disponível publicamente;
  2. A hipótese semiforte afirma que os preços refletem todas as informações publicamente disponíveis, e também que os preços mudam instantaneamente para refletir as novas informações públicas;
  3. A hipótese forte afirma que os preços refletem instantaneamente até mesmo informações ocultas ou privilegiadas.

Há evidências a favor e contra as hipóteses fraca e semiforte, ao passo que há evidências fortes contra a hipótese forte. E aí, o mercado acionário é eficiente?

Exchange Traded Fund – ETF

Entenda o conceito

As ETFs – Exchange Traded Funds, são instrumentos que se propõem a replicar uma determinada parte do mercado acionário (índice, setor, taxa, entre outros). No Brasil, esse mercado tem crescido bastante nos últimos anos.

Atualmente, temos ETFs replicando diversos índices de renda fixa e renda variável brasileiros. Além disso, recentemente foram lançados diversos ETF´s que replicam mercados internacionais, são eles:

Fonte: Mirae Asset

Índices

Alpha de Jensen

Representa o retorno em excesso em relação ao índice de referência. O índice Alpha de Jensen é muito utilizado para avaliar se uma carteira está sendo vantajosa ao longo do tempo ou se seria melhor adotar uma estratégia de investimento passiva.

Alfa de Jensen = retorno da carteira – CAPM

Índice Sharpe

O índice Sharpe reflete o retorno em excesso em relação ao risco total (desvio-padrão). Geralmente é interessante para avaliar carteiras de ações com um universo grande de ativos financeiros.

Índice Treynor

Já o índice Treynor reflete o retorno em excesso em relação ao risco sistemático (Beta). Geralmente é interessante para avaliar carteiras de ações com poucos papéis ou concentradas em determinados setores da Bolsa de Valores.

Onde:

  • RA: Retorno da carteira
  • RF: Retorno livre de risco
  • Beta: risco sistêmico

Índice Modigliani

O índice de Modigliani, com notação M² e também conhecido por RAP – Risk Adjusted Performance, analisa o retorno absoluto ajustado pelo risco de uma carteira.

Análise Fundamentalista

Estratégias do investidor fundamentalista

A análise fundamentalista é o estudo econômico, financeiro e qualitativo de uma companhia para chegar ao valor justo para aquele investimento. A análise fundamentalista possui diversas estratégias. As mais conhecidas são as análises por múltiplos, fluxo de caixa descontado (quantitativa) e o estudo de discricionário da empresa (qualitativa).

Análise Técnica

Métodos da análise gráfica

Análise técnica ou gráfica é o estudo dos movimentos dos preços das ações e indicadores gerados por eles. Na análise técnica existem duas principais linhas de estudo:

  1. Price Action, que utiliza apenas os movimentos dos preços.
  2. Análise por indicadores, que utiliza indicadores como médias móveis, IFR, etc.

A grande maioria dos analistas técnicos utilizam as duas análises para auxiliar as decisões de investimentos no mercado de ações. Temos bastante conteúdo gratuito no TC School caso queira se aprofundar no assunto. Se liga só, por exemplo, nesse artigo sobre as diferentes estratégias de investimentos da análise técnica versus análise fundamentalista.

Estudo de caso JBS (JBSS3)

No estudo de hoje teremos o maior produtor de proteínas do mundo e a segunda maior empresa de alimentos do mundo, a JBS S.A. Para realizar a análise das ações JBSS3, iremos comparar a receita de produtos e/ou serviços, ROIC (retorno sobre o capital total) e os movimentos nas cotações das ações.

No estudo, buscaremos entender como as informações contábeis se relacionam com as cotações das ações da empresa JBS (JBSS3) e se foi possível de alguma forma prever essa movimentação via gráfico, antes que o fato contábil se consumasse.

É importante destacar que outros fatores poderiam ter modificado o preço da ação da JBS (JBSS3), como: notícias, fatos relevantes, dados macroeconômicos, etc. Portanto, fica evidente que a análise técnica é uma ferramenta auxiliar para tomada de decisão de investimentos em ações.

Gráfico com cotação das ações JBSS3

Gráfico com cotações das ações JBSS3 | Fonte: TC Matrix

Vamos analisar as ações da JBS (JBSS3) na janela de 2015 a 2020, ano a ano, e entender o que tínhamos em gráfico, receita e no índice rentabilidade. A partir da análise que fizemos no TC Matrix, no final de 2015, a empresa apresentou uma receita de R$ 162,9 bilhões, porém reportou um ROIC de 11,6%.

Naquele ano, as cotações das ações JBSS3 caíram cerca de 7,75% y/y, cotadas a um preço médio de R$ 12,35 no final de dezembro daquele ano. Outro ponto relevante a ser trazido é que foi um ano em que o país se encontrava em uma crise econômica. Além disso, executivos da empresa vinham sendo investigados por corrupção.

Já no ano de 2016, a receita foi de R$ 170,3 bilhões e um ROIC levemente inferior de 11,49%. Sendo assim, ocorreu uma alta moderada na receita. Nesse ano, a empresa apresentou uma queda de aproximadamente 7,75% em suas cotações, fechando o ano com ações valendo R$ 11,39.

Além disso, vale salientar que a empresa trabalhava em torno de um suporte por volta dos R$ 8,26 naquele ano, como pode ser observado na imagem abaixo. Esse suporte se manteve como referência até o final de 2018.

Em 2017, podemos observar uma forte queda no papel, que recuou 15,02% y/y fechando o ano com o preço da ação a R$ 9,68. A receita reportada neste período ano foi de R$ 163,1 bilhões para um ROIC de 10,99%. Também foi nesse ano que ficou claro triângulo simétrico criado no papel, sendo um sinal interessante, um dos gatilhos para o movimento mais forte que o papel veio a fazer a partir de 2015.

Já em 2018, podemos observar uma alta nas cotações das ações da JBS de 20,76% durante todo ano, chegando ao preço de R$11,68. Nesse mesmo ano, a empresa reportou um ROIC de 11,04% e uma receita de R$ 181,6 bilhões. No ano seguinte, observamos ROIC de 16,93% e uma receita de R$ 204,5 bilhões. Portanto, naquele ano a ação apresentou alta de quase 123,03%, tendo dado oportunidade de compra no rompimento do triângulo em 2017, mas que só tomou força a partir de outubro de 2018, como indicado no gráfico da JBS.

Em 2020, a empresa continuou mostrando bons resultados. Nos primeiros 9 meses de 2020, apresentou R$ 194,1 bilhões e um ROIC de aproximadamente 17,04%. Apesar disso, teve retorno de -6,38%, encerrando o ano cotada a R$ 24,38. Vale lembrar que a empresa continuou respeitando o suporte criado por volta dos 20 reais, mesmo com o advento da pandemia da Covid-19, que gerou pânico na Bolsa de Valores e levou o mercado todo para o caos.

Desta forma, em uma análise técnica, podemos observar que poderia ter sido iniciado investimentos e ter sido feito uma entrada no papel por análise gráfica. Ou seja, fica evidente como os gráficos acompanham e em certos casos antecipam resultados.

Portanto, além dos dados e indicadores da análise fundamentalista, é bastante possível utilizar este tipo de estudo como ferramenta de acompanhamento das expectativas de mercado. Caso queira analisar mais detalhes dos resultados da JBSS3 de forma simples, intuitiva e completa, acesse o TC Matrix, a melhor ferramenta gratuita disponível no mercado para análise de empresas da Bolsa de Valores.

Por fim, repare que boa parte do tempo os resultados não se refletiram em cotações e não existia nenhuma garantia que ele um dia fossem se refletir. Isso se dá pela quantidade de fatores de investimentos que afetam o preço de um ativo de renda variável.

Pirâmide financeira

Para finalizar essa aula do mini curso de investimentos, com conceitos importantes no mundo das finanças e economia, trazemos a discussão acerca das pirâmides financeiras. Esta modalidade consiste na realidade em golpe financeiro, onde há a transferência de capital de múltiplas pessoas para um polo único, com alguma estratégia, promessa ou produto sob o qual se forma.

Uma pirâmide financeira não consegue se manter sem o ingresso de novas pessoas para ceder capital para quem já entrou e para o líder do esquema ou golpe. Parte do dinheiro recebido serve para manter o esquema e a maior parte é subtraída pelo organizador.

Como se proteger de uma pirâmide

A dica é suspeitar de empresas que ofereçam produtos ou serviços mirabolantes e que cresceram rapidamente. Ou ainda, de empresas que você sendo consumidor, obtenha grandes vantagens por trazer novos clientes. É pirâmide financeira isso! Este tipo de golpe geralmente oferece vantagens que tornam a trazer novos clientes ser mais vantajoso para quem está trazendo do que para a própria empresa, o que é um alerta claro para a insolvência estrutural da mesma.

Esperamos que tenham aproveitado o conteúdo apresentado e o conhecimento aprendido inspire os seus estudos no incrível mundo dos investimentos. A gente comunica com clareza para motivar a confiança de vocês!

Além dos textos do nosso blog educacional, temos muito conteúdo disponível em nosso canal do TC School no Youtube para você aprender, de forma fácil e rápido, tudo o que você precisa saber antes de começar a investir.

Legal, não é? A gente também está no Instagram e no TikTok! Segue a gente lá!

Toda semana lançaremos um vídeo
novo e gratuito! Cadastre-se
e fique sempre bem informado:

TC School

TC School

A sua escola como investidor.

Disclaimer: Este material é produzido e distribuído somente com os propósitos de informar e educar, e representa o estado do mercado na data da publicação, sendo que as informações estão sujeitas a mudanças sem aviso prévio. Este material não constitui declaração de fato ou recomendação de investimento ou para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários. O usuário não deve utilizar as informações disponibilizadas como substitutas de suas habilidades, julgamento e experiência ao tomar decisões de investimento ou negócio. Essas informações não devem ser interpretadas como análise ou recomendação de investimentos e não há garantia de que o conteúdo apresentado será uma estratégia efetiva para os seus investimentos e, tampouco, que as informações poderão ser aplicadas em quaisquer condições de mercados. Investidores não devem substituir esses materiais por serviços de aconselhamento, acompanhamento ou recomendação de profissionais certificados e habilitados para tal função. Antes de investir, por favor considere cuidadosamente a sua tolerância ou a sua habilidade para riscos. A administradora não conduz auditoria nem assume qualquer responsabilidade de diligência (due diligence) ou de verificação independente de qualquer informação disponibilizada neste espaço. Administradora: TradersNews Informação & Educação Ltda. Todos os direitos reservados.

TradersClub

O app essencial para investidores do mercado financeiro brasileiro.

Uma comunidade com milhares de investidores, ferramentas e serviços que vão ajudar você a investir melhor!

TradersClub