Dicas de organização financeira e economia doméstica - TC

TC School / Educação Financeira

Economia Doméstica: 10 dicas para poupar dinheiro

17/05/2021 às 11:09

TC School

Você já ouviu falar em economia doméstica e organização financeira? E como utilizar essas informações a seu favor? É este o tema de hoje sobre educação financeira no blog do TC School.

A receita é simples: gastar menos do que se ganha. Esse é o segredo para que qualquer pessoa possa se programar e investir com facilidade. Fácil de entender, mas não tão simples assim de colocar em prática. A gestão do orçamento pessoal ou familiar é um dos principais entraves para que os brasileiros possam ter uma relação mais tranquila com o dinheiro.

Se avaliarmos nossas finanças como uma construção, o orçamento pessoal pode ser considerado a base, a fundação de tudo. É ele quem vai dar a sustentação para os próximos passos, inclusive a possibilidade de investir com tranquilidade e consistência ao longo dos anos.

No âmbito do orçamento pessoal, o que tem grande participação é a economia doméstica. Através do controle dos gastos domésticos podemos ter uma melhor gestão de nossas finanças e, assim, colocar o lado financeiro da vida nos eixos. Por isso, hoje darei algumas dicas importantes para economizar e ter uma melhor gestão das finanças domésticas.

Nesse texto você vai encontrar:

  • O que é economia doméstica
  • Organização financeira
  • Dez dicas para melhor poupar dinheiro
  • Economia doméstica como profissão

Boa leitura!

economia doméstica e organização financeira

O que é economia doméstica

Apesar de o raciocínio lógico induzir o entendimento da economia doméstica como algo ligado somente à gestão do dinheiro, não é tão simples assim. O foco está sim no controle das finanças, mas não se limita à relação das pessoas e famílias com o dinheiro. Vai além disso.

A economia doméstica engloba conceitos e ações de áreas como administração, educação e serviço social, por exemplo. Os estudos e práticas podem incluir ainda questões nas áreas de arte, habitação, vestuário e desenvolvimento humano.

A ideia da economia doméstica, que teve início na Europa, é mostrar às pessoas a limitação do dinheiro e a responsabilidade com os gastos para o bem-estar pessoal. Isso sempre está atrelado às diversas áreas da vida.

10 dicas para poupar dinheiro

1 – Organização financeira

O primeiro passo para que as finanças domésticas possam entrar no eixo é a organização. Entender o que entra e o que sai da “conta da casa”. Isso inclui não somente o seu orçamento, mas também os valores de receitas e despesas daquelas pessoas que estão no mesmo lar.

Dessa forma, para uma boa gestão da economia doméstica, faz parte dessa organização o levantamento das despesas do mês. Isso significa anotar todos os gastos realizados, inclusive aqueles que estão previstos para os próximos meses. Com esse levantamento, a organização ajuda a entender onde o dinheiro é gasto, onde tem sido exagerado e onde pode ser mais bem utilizado.

2 – Utilize uma planilha ou aplicativo

Para que essa organização possa funcionar de maneira prática e no longo prazo, é importante que as receitas e despesas estejam bem descritas e com uma visualização rápida e fácil. Isso significa utilizar uma ferramenta que permita essa análise de maneira produtiva.

Isso pode ser feito através de planilha de gastos ou de aplicativos. O importante é que você se adapte bem com o sistema. E não basta apenas preencher. A ideia é que possa avaliar e entender o que os números anotados significam. Preencher é tirar uma fotografia do que se passou. Analisar é projetar essa foto para o futuro.

3 – Corte gastos desnecessários

A primeira ação após a análise das despesas é retirar aquelas que não fazem sentido. Isso inclui serviços que foram contratados e não são utilizados ou são utilizados muito pouco. Sabe aquela TV por assinatura com 300 canais, mas que você só assiste a cinco? Não é hora de rever o contrato?

O mesmo vale para serviços de telefonia móvel, fixa e Internet. São os gastos que podem ser reduzidos ou eliminados sem prejuízo no seu estilo de vida. Para ajudar quais são esses possíveis gastos, vale ler nosso texto sobre os gastos supérfluos.

4 – Pague ou renegocie dívidas

Se o pensamento é do orçamento como a base financeira, a melhor coisa é tapar os buracos que existem. Com a organização financeira é possível verificar as dívidas existentes e, a partir daí, ter um cenário completo do que é preciso ser feito para que elas deixem de existir.

Caso não tenha condições de quitar as dívidas existentes, o melhor passo a ser dado é negociar. Aproveitar propostas, feirões, mostrar disposição para resolver os problemas.

5 – Pesquise bem os preços

Em relação ao consumo, não há receita melhor do que a pesquisa. Nada de comprar a primeira opção que encontre. Não dá, é verdade, para bater pernas em shoppings e ruas no meio da pandemia. Mas isso não é desculpa.

Com a facilidade de marketplaces e agregadores de busca na Internet, fica muito fácil pesquisar e avaliar as melhores condições de compra de diversos tipos de produto de forma on-line.

6 – Supermercado organizado

O supermercado é um item fundamental na economia doméstica. Existem alguns pontos que podem e devem ser levados em consideração na hora de ir às compras para evitar gastos excessivos, manter o controle e a organização financeira.

Alguns pontos a serem observados na hora de ir às compras:

  • Programe as compras: comprar produtos domésticos, sejam de higiene, alimentação ou limpeza, de maneira semanal pode resultar em um gasto maior. O ideal é buscar as compras em maior quantidade para os produtos que permitem;
  • Faça uma lista: ter uma lista do que vai ser comprado é algo que pode te salvar dos gastos excessivos. Para isso, faça a lista com o que é necessário, o que está faltando em casa, e siga o que planejou;
  • Sem preconceito por marcas: em alguns pontos, é verdade, vale à pena gastar mais pela qualidade do produto. Mas em outros casos podemos mudar de marca, pagar menos e não ter prejuízo no consumo. Experimente;
  • Não vá comprar com fome: ir ao supermercado com fome é algo que pode ser muito prejudicial. A tendência é que acabe comprando muito mais do que precise por conta da necessidade de comer; e
  • Compre sozinho(a): ir com uma companhia, de acordo com pesquisas, resulta em gastos maiores na maioria das vezes. Se puder, dê preferência a ir sozinho(a).

7 – Planeje as refeições

A pandemia mudou muito nossos hábitos, o que, no final, pode ajudar a controlar o orçamento doméstico. Sem a possibilidade de tantas refeições fora de casa, há uma chance maior de reduzir o custo com a preparação das refeições em casa ou da compra de quentinhas para que o almoço/jantar não fique tão pesado no bolso.

8 – Cuidado com a energia

Outra vilã na economia doméstica e da organização financeira é a conta de energia. Ainda mais no momento de seca que vivemos com a bandeira vermelha ativada. Então, algumas dicas para ajudar a reduzir os gastos:

  • Apague as luzes ao sair dos ambientes;
  • Aproveite iluminação natural;
  • Reduza o tempo no banho;
  • Dê preferência a lâmpadas LED;
  • Concentre roupas e peças para lavar de vez;
  • Concentre roupas e peças para passar de vez;
  • Faça manutenção regulares nos aparelhos eletrônicos que precisam;
  • Compre aparelhos econômicos.

9 – Peça descontos

Não é todo mundo que se sente à vontade para pechinchar e buscar descontos em compras. Mas isso pode fazer uma grande diferença. Aproveite os momentos de compras para, se estiver à vontade, pechinchar e tentar reduzir o valor que será gasto.

10 – Cuidado com o cartão de crédito

O cartão de crédito pode ser um grande aliado nos programas de pontos e recompensas. Mas, para quem não consegue se controlar nas compras, ele pode ser um grande problema. Se esse for o seu caso, tente reduzir a utilização do cartão de crédito e volte a utilizá-lo quanto tiver maior controle em relação às finanças.

Economia doméstica como profissão

A economia doméstica não é apenas uma preocupação que devemos ter no nosso dia a dia. Pode ser também uma profissão. O primeiro curso de Graduação de Economia Doméstica surgiu em 1952, juntamente com a implantação da primeira Escola Superior de Ciências Domésticas, na Universidade Rural do Estado de Minas Gerais.

Hoje existem cursos semelhantes na Universidade Federal Rural de Pernambuco, na Universidade Federal do Ceará, na Universidade Federal de Viçosa e na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

O maior foco de atuação do profissional de economia doméstica ainda é em relação às famílias rurais. Mas não se limita a isso.

O profissional pode atuar no planejamento e execução de programas e políticas de educação ambiental, extensão rural e urbana, reforma agrária, promoção social, educação alimentar, educação e orientação do consumidor, alimentação escolar, alimentação do trabalhador, desenvolvimento integral da criança; assistência, assessoria e consultoria na implantação de conjuntos habitacionais; beneficiamento e conservação de alimentos; planejamento e administração de serviços para sadios; implantação, supervisão e orientação técnica de centros de atendimento ao consumidor; planejamento e administração de creches; assistência, planejamento e consultoria em treinamento de recursos humanos (lavanderia, hotéis, restaurantes, etc.); supervisão e orientação técnica em microempresas de confecção têxtil, entre outros.

Raphael Carneiro
Raphael Carneiro
Jornalista
Planejador financeiro associado à Planejar

TC School

A sua escola como investidor.

Disclaimer: Este material é produzido e distribuído somente com os propósitos de informar e educar, e representa o estado do mercado na data da publicação, sendo que as informações estão sujeitas a mudanças sem aviso prévio. Este material não constitui declaração de fato ou recomendação de investimento ou para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários. O usuário não deve utilizar as informações disponibilizadas como substitutas de suas habilidades, julgamento e experiência ao tomar decisões de investimento ou negócio. Essas informações não devem ser interpretadas como análise ou recomendação de investimentos e não há garantia de que o conteúdo apresentado será uma estratégia efetiva para os seus investimentos e, tampouco, que as informações poderão ser aplicadas em quaisquer condições de mercados. Investidores não devem substituir esses materiais por serviços de aconselhamento, acompanhamento ou recomendação de profissionais certificados e habilitados para tal função. Antes de investir, por favor considere cuidadosamente a sua tolerância ou a sua habilidade para riscos. A administradora não conduz auditoria nem assume qualquer responsabilidade de diligência (due diligence) ou de verificação independente de qualquer informação disponibilizada neste espaço. Administradora: TradersNews Informação & Educação Ltda. Todos os direitos reservados.

TradersClub

O app essencial para investidores do mercado financeiro brasileiro.

Uma comunidade com milhares de investidores, ferramentas e serviços que vão ajudar você a investir melhor!

TradersClub