TC School / Fundos de investimentos

Fundos de investimento: conheça todos os tipos – parte 1

14/10/2020 às 5:00

TC School

Neste texto, o qual será dividido em duas partes, iremos falar sobre todos os tipos de fundos de investimento existentes no Brasil. Assim, este texto cobrirá os seguintes tópicos:

  • O que são fundos de investimento?
  • Classificação dos fundos
  • Fundos de renda fixa: referenciados e simples
  • Conheça os Fundos Incentivados de Investimento em Infraestrutura (FI-INFRA)
  • Fundos de ações
  • Aprenda sobre o fundos cambiais
  • Fundos multimercados
  • FIC – Fundos de Investimento em Cotas

Boa leitura!

Fundos de investimento

Leia mais sobre fundos de investimentos:

O que são fundos de investimento

Primeiramente, podemos definir um fundo de investimento como uma espécie de condomínio que reúne recursos de um conjunto de investidores pessoas físicas e/ou jurídicas, com o objetivo de obter ganhos financeiros a partir da aquisição de uma carteira de títulos e valores mobiliários.

Nesse contexto, através desse veículo, pequenos investidores tem acesso a melhores condições de mercado, menores custos e contam com uma administração profissional, colocando-os em igualdade com os grandes investidores.

Classificação dos fundos

A classificação dos fundos será feita com base na Instrução CVM 555, ressaltando as principais características. Entretanto, devemos salientar que também existe a classificação Anbima de fundos.

Fundos de renda fixa: referenciados e simples

Devem possuir, no mínimo, 80% do patrimônio em ativos relacionados diretamente, ou sintetizados por meio de derivativos, à variação da taxa de juros doméstica, índice de preços, ou ambos. Esses fundos não admitem taxa de performance, exceto quando constituído para investidores qualificados.

Os fundos de renda fixa podem ter os seguinte sufixos:

Referenciado

Devem apresentar em sua denominação o indicador de desempenho. Cumulativamente, devem seguir as seguintes condições:

  • Ter 80%, no mínimo, do seu patrimônio líquido alocado em títulos de dívida pública federal, ou títulos de renda fixa considerados de baixo risco de crédito pelo gestor.
  • Estipular que, no mínimo, 95% dos ativos da carteira seja composta por ativos de forma a acompanhar o benchmark de forma direta ou indireta.
  • Restringir as operações com derivativos apenas às operações de hedge das posições detidas à vista e até o limite destas

Simples

São constituídos na forma de condomínio aberto e tem no mínimo 95% de seu patrimônio líquido, isolado ou cumulativamente composto por:

  • Títulos da dívida pública federal
  • Títulos de emissão ou coobrigação de instituição financeira que seja admitida pelo gestor como risco igual ou menor que os da dívida pública federal.
  • Devem restringir as operações com derivativos apenas às operações de hedge das posições
  • Podem ter no máximo 50% do patrimônio em títulos privados.

Conheça os Fundos Incentivados de Investimento em Infraestrutura (FI-INFRA)

Esses fundos podem ser constituídos na forma de condomínio fechado ou aberto, classificado como renda fixa. Essa espécie de título possui vantagem tributária que é repassada. Além disso, precisam possuir 67% do patrimônio do fundo alocados em ativos de infraestrutura e, após dois anos de integralização, o limite sobe para 85%

Fundo de ações

Talvez sejam os fundos mais famosos do mercado, esses fundos precisam:

  • Manter no mínimo 67% do patrimônio em ações, bônus de subscrição, recibo de subscrição e certificados de depósito de ações
  • Cotas de fundos de ações e cotas dos fundos de índice de ações
  • BDR’S níveis II e lll

Fundos de ações – mercado de acesso

Exige que 2/3 do patrimônio sejam investidos em mercado de acesso, hoje representado pelo Bovespa Mais. Entretanto, caso você tenha dificuldade para identificar os segmentos de listagem, não deixe de conferir o texto do TC School sobre esse tema. Nesse contexto, Bovespa Mais é um segmento da Bovespa que busca fomentar o desenvolvimento da governança corporativa.

Fundo de ações BDR l

Esse fundo também exige no mínimo 67% do patrimônio dos fundos convencionais de ações, no entanto, esses fundos poderão acrescentar ações BDR nível 1.

Fundo cambial

Esse fundo deve aplicar pelo menos 80% do seu patrimônio em ativos que repliquem direta ou indiretamente a variação de preços de moedas estrangeiras ou à variação do cupom cambial. Além disso, eles não admitem alavancagem.

Fundos multimercados

A principal característica desses fundos é possuir políticas de gestão que envolvam vários fatores de risco. Além disso, também tendem a ser bem menos concentrados.

Os fundos multimercados podem ser classificados em 4 tipos (sufixos):

  • Longo prazo: deve possuir uma carteira média com prazo de 365 dias e não tem prazo máximo para os títulos que compõem a carteira.
  • Curto prazo: só poderão ter títulos de com prazo máximo de 375 dias. Ademais, o prazo da carteira deve ser inferior a 60 dias.
  • Dívida externa: 80% do patrimônio de está alocado em títulos representativos da dívida pública no externa da união. Além disso, no máximo 20% do patrimônio pode ser alocado em créditos transacionados no mercado internacional. Por fim, esses fundos também exigem uso de derivativos apenas para hedge.
  • Investimentos no exterior

Além dessas classificações, os definidos como renda fixa, cambial ou multimercado que realizaram aplicações em quaisquer ativos de direito privado, exceto em ações e assemelhados, ou emissores públicos diferentes da união federal que, em seu conjunto, excedam o percentual de 50% do seu patrimônio líquido, também devem possuir o sufixo “crédito privado”.

Fundos de investimento em cotas

Esses fundos são constituídos com o objetivo de aplicar em outros fundos já existentes. No mínimo 95% do seu patrimônio deve ser investido em fundos de investimento da mesma classe de investimento que o fundo de se propõe a investir.

Por fim, diante do exposto, a legislação também restringe alguns outros pontos referentes a concentração de ativos. São eles:

  • Até 20%, quando o emissor for uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo banco central do brasil.
  • No máximo até 10%, quando o emissor for uma companhia aberta
  • Até 10%, quando o emissor for um fundo de investimento.
  • Até 5, quando o emissor for uma pessoa física ou jurídica de direito privado que não seja companhia aberta ou instituição financeira autorizada pelo BCB.

Não há limites quando o emissor for a união federal.

O fundo não poderá deter mais de 20% do seu patrimônio liquido em títulos de valores mobiliários de emissão do administrador, do gestor ou de empresas  a ele ligadas. Dessa forma, o exposto ao longo do texto dispõe das regras gerais em relação a gestão de fundos baseados na Instrução CVM 555. Sendo assim, a legislação discute algumas exceções especificas para casos no mercado.

Por fim, não deixe de acompanhar o TC School, especialmente a segunda parte deste texto que sairá em breve. Até logo!

Natanael Liberalino
Natanael Liberalino
Certificado de Especialista em Investimentos – CEA/ANBIMA
Estudante de Economia

TC School

A sua escola como investidor.

Disclaimer: Este material é produzido e distribuído somente com os propósitos de informar e educar, e representa o estado do mercado na data da publicação, sendo que as informações estão sujeitas a mudanças sem aviso prévio. Este material não constitui declaração de fato ou recomendação de investimento ou para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários. O usuário não deve utilizar as informações disponibilizadas como substitutas de suas habilidades, julgamento e experiência ao tomar decisões de investimento ou negócio. Essas informações não devem ser interpretadas como análise ou recomendação de investimentos e não há garantia de que o conteúdo apresentado será uma estratégia efetiva para os seus investimentos e, tampouco, que as informações poderão ser aplicadas em quaisquer condições de mercados. Investidores não devem substituir esses materiais por serviços de aconselhamento, acompanhamento ou recomendação de profissionais certificados e habilitados para tal função. Antes de investir, por favor considere cuidadosamente a sua tolerância ou a sua habilidade para riscos. A administradora não conduz auditoria nem assume qualquer responsabilidade de diligência (due diligence) ou de verificação independente de qualquer informação disponibilizada neste espaço. Administradora: TradersNews Informação & Educação Ltda. Todos os direitos reservados.

TradersClub

O app essencial para investidores do mercado financeiro brasileiro.

Uma comunidade com milhares de investidores, ferramentas e serviços que vão ajudar você a investir melhor!

TradersClub