TC School / Mercado de ações

Entenda como as privatizações impactam a sua vida

30/09/2020 às 5:00

TC School TC School

Neste texto, discutiremos sobre as privatizações e como podem afetar a sociedade de modo geral. No atual governo, como estratégia de melhorar o desempenho econômico do país, existe uma agenda contendo prazos e nomes das estatais na mira da privatização.

Neste sentido, para compreendermos mais sobre as principais questões que envolvem a privatização e seu impacto na sociedade, falaremos sobre os seguintes pontos:

  • Privatização: o que é e para que serve?
  • Papel político: como andam os projetos de privatizações na agenda do atual governo?
  • Impacto social: entenda como as privatizações impactam a sociedade, incluindo os investidores.
  • Conclusão

Boa leitura!

Privatizações

Leia mais sobre mercado de ações:

Privatização: o que é e como funciona?

Primeiramente, devemos destacar que a pauta sobre privatização sempre esteve presente nos diversos governos que passaram pelo país e não é novidade que esse tema sempre gerou muitas discussões. Há quem defenda as vantagens e os possíveis benefícios das privatizações, e há também as opiniões contrárias as quais desacreditam que essa medida seja capaz de melhorar o funcionalismo público.

Dessa forma, essa divergência de visões gera um embate acalorado entre as partes políticas e a sociedade em geral. Um dos problemas que acompanha essa discussão infinita é justamente a demora para a concretização de alguma medida eficaz para impulsionar a economia e eficiência dos serviços públicos.

Além disso, um ponto muito importante, se não o mais importante, é que, enquanto não se resolve tais questões, as atividades básicas do país, como saúde, segurança e educação, sofrem com a falta de recursos e de melhoras nos processos internos, como um bom planejamento orçamentário, por exemplo.

E para quem ainda não conhece o significado das privatizações ou desestatizações, pensem na situação em que o governo concede ou vende, por meio de leilões públicos, as empresas estatais para a iniciativa privada. E por que isso? Principalmente para obtenção de eficiência, redução de gastos e maior geração de recursos. Assim, o foco é no crescimento econômico. Esses são os principais benefícios que acompanham as privatizações.

Papel político: como andam os projetos de privatizações na agenda do atual governo?

Antes de chegar no curso atual das privatizações, vamos voltar um pouco e revisitar um dos períodos mais marcantes no Brasil no que tange às privatizações. O auge ocorreu no governo FHC, entre o período de 1991 a 2000, onde foram privatizadas cerca de 65 empresas estatais de diversos setores da economia: elétrico, petroquímico, financeiro, informática, telecomunicação, entre vários outros. Toda essa força tarefa do governo, na época, gerou uma receita de 78,61 bilhões de dólares.

Com isso, ainda sobre o governo FHC, empresas expressivas como a Vale do Rio Doce e Eletropaulo, são exemplos das estatais que passaram pelo processo de privatização na época. Após tais acontecimentos, em 2005 um estudo foi publicado na Revista Brasileira de Economia, analisando o efeito das privatizações sobre o desempenho econômico e financeiro das empresas, encontraram o seguinte resultado da pesquisa:

Fonte: Scielo

Em tal estudo, os autores Anuatti, Barossi, Carvalho e Macedo, (2005), ao analisarem o período de 1987 a 2000 com uma amostra de 102 empresas privatizadas, chegaram à conclusão de que estas empresas se tornaram mais eficientes depois de privatizadas. Medidas como lucratividade, eficiência operacional, redução no endividamento e aumento na liquidez corrente, foram pontos positivos após a privatização.

Pretensão do atual governo

Antes de tudo, vale ressaltar que o processo de privatização envolve estudos técnicos prévios para avaliar a viabilidade da privatização de determinada estatal, além de estudos de modelagens de venda e consultas públicas, tudo acompanhado pela Secretaria de Desestatização, liderada atualmente por Diogo Mac Cord (defensor das privatizações).

De acordo com a agenda de privatização do atual governo, a meta é que pelo menos 14 estatais sejam vendidas ou encerradas até 2021.

Estatais que estão na meta de privatizações do governo

Fonte: elaboração própria

Todas as 14 empresas listadas acima, já estão com processo em andamento, no PPI (Programa de Parceria de Investimentos) que representa a fase do estudo de viabilidade, ou já estão no PND (Programa Nacional de Desestatização), onde inicia-se de fato o processo de privatização da estatal.

Para se ter uma ideia, estima-se que com a venda da Eletrobras, o governo arrecade cerca de 16 bilhões de reais. Imaginem, o somatório de todas que estão no mesmo processo. Sem sobra de dúvidas seria um tremendo impulso econômico do país. Além de que, com tais privatizações e fechamentos, o governa terá mais recursos para direcionar aos serviços essenciais básicos que carecem de uma grande reforma.

Todavia, nem tudo são flores, apesar dos benefícios serem claros, todo o trâmite desse processo de privatização é carregado de muita resistência de categorias, além de ter que enfrentar uma enxurrada de burocracia. Não é por menos, que o ex-secretário Salim Mattar, deixou o seu cargo, ainda neste ano, alegando a dificuldade na implementação da agenda de privatização.

Salim e o Ministro Paulo Guedes apresentaram diversas vezes a intenção de acelerar o processo das privatizações, mas todas sem sucesso, como o caso Faz-Track. Diante de todos em entraves, me parece que a gaveta do congresso não tem fim nem pressa. Penso em qual seria a maior dificuldade, oposições políticas ou o bem-estar da economia…

Assim, sabendo da agenda das privatizações, vejamos as cenas dos próximos capítulos.

Impacto social: entenda como as privatizações impactam a sociedade, incluindo os investidores

Pensando agora como investidores e cidadãos comuns, vamos refletir sobre como os impactos que a ocorrência de tais privatizações podem vir a nos afetar. Vejamos o exemplo da ELET6, a evolução do seu papel antes e após as notícias sobre a intenção do governo atual na privatização da estatal:

Fonte: Google

Exemplo agora da Telebras:

Fonte: Google

Ambas as empresas, tiveram suas ações valorizadas, após as notícias do governo ainda em 2019 sobre a intenção de privatizá-las. Nesse sentido, não é preciso explicar mais sobre o quão bem o mercado reagem quando o assunto é a privatização de alguma estatal listada em bolsa. O investidor entende, as privatizações geram melhoras significativas no desempenho, lucratividade e na eficiência em geral da empresa, fazendo com que seus papeis venham se valorizar.

Conclusão

Além disso, na sociedade de modo geral, o que pode vir a acontecer com a ocorrência das privatizações, é a expectativa de que os serviços essenciais sejam melhorados por meio dos recursos arrecadados, além de uma melhora significativa na eficiência do serviço prestado pelo governo. Obviamente, que nem tudo é perfeito, sabemos que pontos da cultura nacional, podem vir a afetar negativamente todo o benefício esperado para a sociedade.

Por fim, espero que esse texto tenha ajudado a enxergar como as privatizações impactam tanto os investimentos quanto a nossa vida.

Referências

ANUATTI-NETO, Francisco et al. Os efeitos da privatização sobre o desempenho econômico e financeiro das empresas privatizadas. Rev. Bras. Econ. Rio de Janeiro, v. 59, n. 2, p. 151-175, June 2005.   Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034402005000200001&lng=en&nrm=iso>.access 28 Sept.  2020.  https://doi.org/10.1590/S0034-71402005000200001

Mariângela Araújo
Mariângela Araújo
Contadora e Mestranda em Ciências Contábeis pelo PPGCC/UFPB.
Monitora de cursos no TC School.

Esse conteúdo foi útil?

TC School

TC School

Disclaimer: Este material é produzido e distribuído somente com os propósitos de informar e educar, e representa o estado do mercado na data da publicação, sendo que as informações estão sujeitas a mudanças sem aviso prévio. Este material não constitui declaração de fato ou recomendação de investimento ou para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários. O usuário não deve utilizar as informações disponibilizadas como substitutas de suas habilidades, julgamento e experiência ao tomar decisões de investimento ou negócio. Essas informações não devem ser interpretadas como análise ou recomendação de investimentos e não há garantia de que o conteúdo apresentado será uma estratégia efetiva para os seus investimentos e, tampouco, que as informações poderão ser aplicadas em quaisquer condições de mercados. Investidores não devem substituir esses materiais por serviços de aconselhamento, acompanhamento ou recomendação de profissionais certificados e habilitados para tal função. Antes de investir, por favor considere cuidadosamente a sua tolerância ou a sua habilidade para riscos. A administradora não conduz auditoria nem assume qualquer responsabilidade de diligência (due diligence) ou de verificação independente de qualquer informação disponibilizada neste espaço. Administradora: TradersNews Informação & Educação Ltda. Todos os direitos reservados.

TradersClub

O app essencial para investidores do mercado financeiro brasileiro.

Uma comunidade com milhares de investidores, ferramentas e serviços que vão ajudar você a investir melhor!

TradersClub