TC School / Mercado de ações

Diferença entre FinTech e TechFin

17/06/2021 às 10:13

TC School

A transformação digital trouxe soluções inovadoras para o mundo corporativo, impactando a forma como se faz negócios nos últimos anos. Essas inovações têm transformado processos em tecnologia, como no caso de uma FinTech, mas há também aquelas que transformam a tecnologia em processos, como uma TechFin.

No texto de hoje, vamos entender a diferença entre Fintech e Techfin, os números da indústria e onde o TC se encaixa dentro destes conceitos. Para facilitar sua leitura, separei o artigo nos seguintes tópicos: 

  • O que é uma FinTech?
  • O que é uma TechFin?
  • FinTech versus TechFin
  • O TC Traders Club é uma Fintech ou uma Techfin? 
  • Conclusão

Boa leitura!

fintech techfin

O que é uma FinTech?

Fintech é um termo que combina as abreviações de finanças e tecnologia, ou finance e technology em inglês. Como o próprio nome sugere, são empresas do mercado financeiro que utilizam soluções tecnológicas para melhorar seus processos e simplificar o acesso de seus clientes a diversos produtos financeiros. Essas soluções variam desde a capacidade de pagamentos online até negociação de criptoativos. 

Vamos pensar, por exemplo, no banco digital Nubank onde você consegue abrir sua conta, realizar transferências e fazer pagamentos através do aplicativo, sem agências e gerentes de conta intermediando nesse processo. Seu foco permanece em serviços financeiros, sendo a tecnologia um meio de oferecer uma experiência melhor para seus usuários, além de maior eficiência na operação. 

As Fintechs atraem investimentos em todo o mundo devido a sua estrutura tecnológica e serviços focados no cliente. Confira na imagem abaixo os investimentos captados pelas Fintechs nos últimos 4 anos.

investimento em fintech

Fonte: KPMG 2020

O investimento em Fintech caiu significativamente em 2020, devido à falta de grandes M&A, como a da Worldpay, que foi comprada pela FIS por US$ 42,5 bilhões em 2019, segundo dados da KPMG (2020).

Ademais, a pandemia interrompeu muitos negócios, tendência que começou a mudar apenas na segunda metade de 2020, conforme os investidores aprenderam a fazer investimentos diante do “novo normal”. Nesse período, os investimentos em FinTech mais que dobraram se comparado com a primeira metade do ano, atingindo a cifra de US$ 71,9 bilhões em investimentos.

Além do exemplo da Nubank, podemos citar outros gigantes no Brasil e no mundo: Coinbase (EUA), TransferWise (Reino Unido), Méliuz (Brasil), Ant Financial (China), Robinhood Markets (EUA), SoFi (EUA).

O que é uma TechFin?

O termo Techfin, ao contrário da Fintech, é utilizado para se referir às empresas com foco em tecnologia que desejam impulsionar seus negócios por meio de soluções financeiras, conquistando clientes que valorizam a praticidade.

Apesar das Techfins não substituírem os bancos ou corretoras, essas empresas conseguem oferecer aos seus clientes uma experiência inovadora, facilitando rotinas bancárias de qualquer empresa.

Agora vamos pensar na Apple, a maior empresa de tecnologia do mundo. A companhia oferece opções de financiamento por meio do Apple Financial Services para facilitar a aquisição de seus produtos, além de ajudar empresas no planejamento de longo prazo para a implementação de novas estratégias.

O foco da Apple segue sendo serviços e produtos tecnológicos. Contudo, a companhia inovou oferecendo uma melhor experiência através de suas soluções financeiras.

Para Juliano Tubino, VP de Negócios da TOTVS, uma TechFin atua apoiada nos dados que transacionam em suas plataformas, oferecendo soluções financeiras. Esses dados podem apresentar uma tendência de comportamento, otimizando, assim, o processo de análise de crédito, por exemplo.

Em resumo, podemos dizer que as Techfins se destacam pela sua ampla rede de clientes, seu potencial de transformação digital, o foco em melhorar a experiência do usuário, além da oportunidade de expandir seus negócios com instituições financeiras.

Confira na imagem abaixo como funciona o ciclo de atuação dos produtos de uma TechFin.

ciclo de atuação de uma techfin

Fonte: Canal Tech

Além da Apple, podemos destacar também a Amazon (EUA), Facebook (EUA), Google (EUA), Microsoft (EUA), Samsung (Coréia) e Uber (EUA) entre as gigantes da indústria TechFin pelo mundo.

FinTech versus TechFin

Como vimos, uma FinTech pode ser entendida como a integração do sistema financeiro com a tecnologia, buscando a melhoria da operação e dos processos financeiros da companhia. Já a TechFin é aquela empresa de tecnologia que oferece produtos financeiro para seus usuários.

Segundo Jack Ma Yun, presidente do Alibaba Group, durante a Conferência da China, “A Fintech pega o sistema financeiro original e melhora sua tecnologia. A TechFin é reconstruir o sistema com tecnologia”.

Enquanto as TechFins têm a limitação do risco de crédito, as FinTechs precisam enfrentar o desafio dos agentes reguladores. Além disso, as FinTechs estão muito expostas a questão da segurança, sendo necessário lidar com os riscos de privacidade e hackers.

Podemos resumir a diferença entre os dois da seguinte forma:

FinTech:

  1. A tecnologia em primeiro lugar é a abordagem.
  2. Start-ups geralmente participam.
  3. Siga a transformação no processo.
  4. Não hesita em interromper o processo existente.
  5. Jovens, millennials e profissionais os apreciam.
  6. Elimina o intermediário para uma experiência mais rápida e superior.
  7. Limitações de privacidade, segurança e reguladores.

TechFin:

  1. Primeira abordagem do processo.
  2. Os bancos históricos, geralmente grandes, participam.
  3. Improvisa o processo existente.
  4. Não corre risco.
  5. Os clientes preferem legado e confiança.
  6. Aumenta a proficiência da equipe para a melhoria do processo usando tecnologia.
  7. Grandes riscos de crédito.

Fonte: Teknospire

O TC é uma Fintech ou Techfin?

O TC é uma empresa de serviços financeiros para investidores, sendo uma das maiores plataformas de inteligência de mercado e educação financeira do Brasil. Sua receita é oriunda da venda de assinaturas, serviços e cursos para investidores.

Por se tratar de uma grande comunidade, podemos fazer um paralelo com o Facebook, por exemplo. Nesse sentido, podemos dizer que o TC se encaixa melhor como uma TechFin. A companhia está sempre focada em melhorar a experiência do usuário e possui um alto potencial de transformação digital.

É possível, ainda, que algumas pessoas classifiquem o TC como sendo uma InfoTech. InfoTechs são empresas do segmento de informações em geral, com o uso de tecnologia. O TC também se encaixa neste conceito, desta forma, já que é uma plataforma de informações, inteligência de mercado e dados para os investidores.  

Conclusão

Podemos dizer que existe uma linha muito tênue que diferencia a FinTech da TechFin. É claro que não podemos generalizar, mas, em geral, podemos dizer que as FinTechs são ótimas em atender as demandas financeiras por meio de soluções personalizadas, apesar de certa desconfiança dos seus usuários.

Já as TechFins conseguem alcançar seus consumidores de forma mais simples, devido a força da sua marca. Contudo, essas empresas costumam sofrer para criar soluções financeiras inovadoras.

Como essas companhias atuam em setores semelhantes, a cooperação entre elas pode ser uma alternativa para combinar seus pontos fortes e, assim, gerar mais valor para seus clientes.

Referências

VOHRA, O. Fintech vs Techfin: A new form of coopetition, detailed comparasion between financial technology firms. Pearson. Journal of Social Sciences & Humanities, 2020, v. 37, n. 7, [s.d.].

KAUL, V. A. TechFin or FinTech – Teknospire. Disponível em: <https://teknospire.com/techfin-or-fintech/>. Acesso em: 16 jun. 2021.

Oito perguntas sobre: você sabe as diferenças entre uma fintech e uma techfin? Disponível em: <https://canaltech.com.br/mercado/diferencas-entre-fintech-techfin-172497/>. Acesso em: 16 jun. 2021.

Lincoln Silva
Lincoln Silva
Investidor em renda variável e assistente de conteúdo do TC School.
Bacharel em Ciências Contábeis na UFRJ.

TC School

A sua escola como investidor.

Disclaimer: Este material é produzido e distribuído somente com os propósitos de informar e educar, e representa o estado do mercado na data da publicação, sendo que as informações estão sujeitas a mudanças sem aviso prévio. Este material não constitui declaração de fato ou recomendação de investimento ou para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários. O usuário não deve utilizar as informações disponibilizadas como substitutas de suas habilidades, julgamento e experiência ao tomar decisões de investimento ou negócio. Essas informações não devem ser interpretadas como análise ou recomendação de investimentos e não há garantia de que o conteúdo apresentado será uma estratégia efetiva para os seus investimentos e, tampouco, que as informações poderão ser aplicadas em quaisquer condições de mercados. Investidores não devem substituir esses materiais por serviços de aconselhamento, acompanhamento ou recomendação de profissionais certificados e habilitados para tal função. Antes de investir, por favor considere cuidadosamente a sua tolerância ou a sua habilidade para riscos. A administradora não conduz auditoria nem assume qualquer responsabilidade de diligência (due diligence) ou de verificação independente de qualquer informação disponibilizada neste espaço. Administradora: TradersNews Informação & Educação Ltda. Todos os direitos reservados.

TradersClub

O app essencial para investidores do mercado financeiro brasileiro.

Uma comunidade com milhares de investidores, ferramentas e serviços que vão ajudar você a investir melhor!

TradersClub