Índice de cobertura de juros na análise de empresas - TC

TC School / Mercado de ações

Índice de cobertura de juros (ICJ) e suas variações

10/03/2021 às 16:05

TC School

O índice de cobertura de juros (ICJ) é tanto um índice de avaliação da capacidade de pagamento da dívida quanto um índice de lucratividade de uma companhia. Ele é usado por bancos e por empresas para atestar a capacidade de pagamento da dívida.

Em resumo, o ICJ é uma métrica de capacidade de endividamento e de performance, e faz parte da análise de crédito, indicando a capacidade da companhia honrar seus compromissos.

Para calcular o índice de cobertura de juros divide-se o lucro antes dos impostos e tributos (EBIT) pelas despesas com juros. Os valores altos indicam que a companhia consegue cobrir com os juros com o EBIT. Já empresas com baixo índice de cobertura de juros apresentam alto custo do capital de terceiros e dificuldades em obter financiamento por dívida.

Entretanto, existem algumas variações que consideram o EBITDA e o NOPAT no lugar do EBIT, veremos tudo isso em detalhes no texto a seguir. Com exemplos práticos, elencamos também quais são os valores médios de ICJ, suas variações e como ele afeta a avaliação das empresas listadas na Bolsa de Valores. O artigo está dividido nos seguintes tópicos:

  • O que é o índice de cobertura de juros (ICJ)
  • Para que serve o ICJ
  • Tendências ao longo do tempo
  • Variações usando EBITDA e NOPAT
  • Impactos na avaliação de empresas

Boa leitura!

Índice de cobertura de juros (ICJ)

O que é o ICJ

O índice de cobertura de juros é tanto um índice de avaliação da capacidade de pagamento da dívida quanto um índice de lucratividade. O índice ajuda as companhias a determinar a facilidade com que podem pagar juros sobre dívidas pendentes ou dívidas que planejam assumir.

Na outra ponta, o índice de cobertura de juros (ICJ) é uma das variáveis utilizadas pelos bancos para realizar a análise do crédito. No geral, quanto maior o índice, maior a capacidade atual que a empresa possui em pagar os juros do endividamento.

Você pode determiná-lo pegando o EBIT de uma empresa (lucro antes de juros e impostos) e dividindo-o pelos pagamentos de juros dentro de alguma janela e frequência de tempo escolhida.

Fórmula do ICJ

Abaixo, temos a fórmula do índice de cobertura de juros:

Lembrando que,

EBIT = Lucro Líquido + Despesas com Juros + Tributos

Todas as contas estão disponíveis na Demonstração de Resultados do Exercício (DRE). Iremos dar exemplo e mostrar um caso prático ao longo do artigo.

Para que serve o índice de cobertura de juros

O índice funciona para indicar a capacidade de pagamento da companhia. Ou seja, o índice de cobertura de juros mede quantas vezes uma empresa pode cobrir seu pagamento de juros atual com o lucros antes dos juros e dos impostos (EBIT).

Desta forma, o índice mede a margem de segurança de uma empresa para pagar os juros de sua dívida em um determinado período. Quanto menor o índice, mais a empresa é onerada pela despesa da dívida.

Quando o índice de cobertura de juros de uma empresa é próximo de 1, a sua capacidade de atender às despesas com juros pode ser questionável. Afinal, as empresas precisam ter ganhos mais do que suficientes para cobrir os pagamentos de juros a fim de sobreviver às dificuldades financeiras futuras, das quais são muitas vezes imprevisíveis.

Índice de cobertura de juros

Um exemplo numérico

Os credores devem ficar atentos e calcular o índice de cobertura de juros, já que ele pode indicar a capacidade da empresa pagar ou não os empréstimos. Os acionistas também, pois eles só serão remunerados após o pagamento dos credores e dos tributos.

Para exemplificar, vamos imaginas duas empresas, Q e W, e vamos aplicar um choque de queda de rentabilidade em ambas para ver o que acontece. Os dados das empresas estão expostos abaixo.

No final, ambas apresentam a mesma receita, CMV, despesas e EBIT. A diferença está no pagamento das receitas financeiras. Montando o índice de cobertura de juros, podemos ver que, para cada R$ 1,00 (um real) de despensas financeiras, a empresa Q possui R$ 3,00 (três reais) de EBIT. Em compensação, a empresa W financeira possui R$ 1,5.

E daí? Bem, caso aconteça alguma coisa que derrube as receitas das empresas, o pagamento dos credores e acionistas será impactado. Vamos imaginar um cenário que receita cai 20%. Neste caso, temos os seguintes resultados.

O que aconteceu? A queda nas receitas foi de 20%, mas a queda no EBIT foi de 33,4%. No final, os acionistas da Empresa W não receberam nada, já que todo o resultado ficou com os credores.

Tendências ao longo do tempo

Embora olhar para um único ICJ possa dizer muito sobre a posição financeira atual de uma empresa, a análise dos índices de cobertura de juros ao longo do tempo geralmente dá uma imagem muito mais clara da posição e da trajetória de uma empresa.

Ao analisar os índices de cobertura de juros trimestralmente nos últimos cinco anos, por exemplo, as tendências podem surgir e dar ao investidor uma ideia muito melhor se um índice de cobertura de juros está melhorando ou piorando.

Índice de cobertura de juros da WEGE3

No geral, queremos que o índice melhore com o tempo, junto com outras métricas de rentabilidade e eficiência. Para exemplificar, vamos pegar o caso de uma empresa real: a WEG S.A. (WEGE3).

DRE Simplificada da WEG S.A

Conforme a tabela acima, a WEG S.A (WEGE3) conseguiu aumentar suas receitas no período, apresentando maior crescimento do EBIT em relação às despesas financeiras. Consequentemente, o índice de cobertura de juros (ICJ) cresceu 30% entre 2018 a 2020. Isso demonstra que a empresa apresenta uma sólida saúde financeira.

O que é um bom índice de cobertura de juros

Não existe uma regra clara sobre o quanto seria um bom índice de cobertura de juros (ICJ). Uma regra de bolso indica que um índice entre 2 e 3 é aceitável. O índice de cobertura de juros varia entre empresas e entre indústrias.

Abaixo, temos os índices de cobertura de juros em 2019 para várias indústrias. Optamos por não usar o ano de 2020, para não enviesar os resultados. Note que estes são valores médios. Dentro de cada indústria, existem variações. O interessante seria que a companhia que você investe apresente um ICJ acima da média do setor.

Média do Índice de Cobertura de Juros (ICJ) por setor em 2019

Fonte: Dados públicos das DREs.

Variações usando EBITDA e NOPAT

Existem algumas variações na fórmula do índice de cobertura de juros. As duas mais comuns são:

  1. Usando o lucro antes dos juros, dos impostos e da depreciação e amortização (EBITDA); ou
  2. O lucro antes dos juros e após os impostos (NOPAT) no lugar do EBIT.

O argumento para usar EBITDA é que a métrica seria mais próxima do fluxo de caixa da companhia (nem sempre é o caso). Usando o EBITDA, teremos um valor maior para a cobertura de juros e iria beneficiar empresas com maior investimento em imobilizado, já que elas irão apresentar maior depreciação. Sendo assim, teríamos:

Lembrando que,

  • EBITDA = EBIT + Depreciação & Amortização

Outra variação é utilizar o NOPAT. O argumento é que a tributação representa uma saída de caixa importante da companhia, afetando a rentabilidade do acionista. Neste caso, utiliza-se o NOPAT no lugar do EBIT. Sendo assim, teríamos:

Lembrando que,

  • NOPAT = EBIT (1 – Taxa de Tributação)

Impactos na avaliação de empresas

Finalmente que entendemos melhor o conceito e variações, fica a pergunta: como o índice de cobertura de juros impacta o valor das empresas?

As cláusulas de cobertura de juros, que estabelecem uma proporção máxima entre pagamentos de juros e rendimentos, estão entre as disposições mais populares em contratos de dívida entre bancos e empresas (conhecidos como covenants).

Podemos dizer que o impacto não ocorre diretamente, mas existe uma relação entre o índice de cobertura de juros e o custo da dívida da empresa: quando o ICJ é baixo, os credores tendem a cobrar um retorno maior para emprestar recursos para as empresas. Já as companhias com maior capacidade de cobertura, apresentam condições mais favoráveis de crédito.

Abaixo, temos uma estimativa clássica da relação entre índice de cobertura de juros e o custo da dívida para as grandes empresas americanas. A figura também contém o rating da dívida, indicando uma relação entre o rating e o ICJ.

Spread em relação à taxa livre de risco

Fonte: Elaboração própria com dados do site do Professor Aswath Damodaran

Por exemplo, uma empresa com índice de cobertura de juros de 3,50, pagaria em média a taxa livre de risco mais um spread pelo risco da dívida corporativa de 2%.

Considerações para o investidor de Bolsa

Como vimos, o índice de cobertura de juros é um número importante não apenas para os credores, mas também para os acionistas e investidores. Os credores querem saber se uma empresa será capaz de pagar sua dívida. Se ela não tem problemas para fazer isso, existe uma menor probabilidade de que futuros credores terão restrição em conceder crédito.

Da mesma forma, tanto os acionistas quanto os investidores podem usar esse índice para tomar decisões sobre seus investimentos na Bolsa de Valores.

É importante perceber que uma empresa que não consegue pagar sua dívida não crescerá, visto que terá restrita a obtenção de crédito por conta de má reputação. O crédito caro também prejudica o valor da empresa. Afinal, a maioria dos investidores pode não querer colocar seu dinheiro em uma empresa que não seja financeiramente sólida.

Não deixe de acompanhar nosso conteúdo sobre o mercado de ações. Estude e conheça! Aprenda com quem realmente entende de investimentos. Estude, por exemplo, sobre múltiplos de valuation nos vídeos do canal do TC School no YouTube:

A gente também está no Instagram e no TikTok! Segue a gente lá!

Lucas Nogueira
Mestre em Finanças pelo PPGA/UFPB
Analista de conteúdo do TC School

TC School

A sua escola como investidor.

Disclaimer: Este material é produzido e distribuído somente com os propósitos de informar e educar, e representa o estado do mercado na data da publicação, sendo que as informações estão sujeitas a mudanças sem aviso prévio. Este material não constitui declaração de fato ou recomendação de investimento ou para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários. O usuário não deve utilizar as informações disponibilizadas como substitutas de suas habilidades, julgamento e experiência ao tomar decisões de investimento ou negócio. Essas informações não devem ser interpretadas como análise ou recomendação de investimentos e não há garantia de que o conteúdo apresentado será uma estratégia efetiva para os seus investimentos e, tampouco, que as informações poderão ser aplicadas em quaisquer condições de mercados. Investidores não devem substituir esses materiais por serviços de aconselhamento, acompanhamento ou recomendação de profissionais certificados e habilitados para tal função. Antes de investir, por favor considere cuidadosamente a sua tolerância ou a sua habilidade para riscos. A administradora não conduz auditoria nem assume qualquer responsabilidade de diligência (due diligence) ou de verificação independente de qualquer informação disponibilizada neste espaço. Administradora: TradersNews Informação & Educação Ltda. Todos os direitos reservados.

TradersClub

O app essencial para investidores do mercado financeiro brasileiro.

Uma comunidade com milhares de investidores, ferramentas e serviços que vão ajudar você a investir melhor!

TradersClub