TC School / Mercado de ações

Swing trade: saiba tudo sobre este tipo de operação na bolsa

17/06/2021 às 16:58

TC School

Hoje vamos falar sobre o swing trade e os tipos de operação na bolsa de valores.

Como sabemos, existem duas grandes escolas que guiam os investidores em seus investimentos, a fundamentalista que através dos fundamentos busca identificar o valor justo das ações, e a técnica, que busca identificar o movimento dos preços das ações de acordo com o estudo gráfico.

Também existem os tipos de operações utilizados pelos investidoresswing trade, day trade e position trade, os quais determinam como o investidor em questão lida com seus investimentos no mercado de capitais.

E, sabia que um desses tipos de operação é considerado o meio termo entre as especulações de curto prazo e os investimentos a longo prazo? Assim como, sabia que essa operação é responsável por prover bons retornos no curto prazo sem necessariamente incorrer em grandes riscos?

Antes de tudo, para facilitarmos o entendimento do tema, o texto será estruturado da seguinte forma:

  • O que é swing trade?
  • Vantagens e desvantagens de fazer swing trade
  • Como fazer swing trade?
  • Qual a diferença entre swing trade, day trade e position trade?
  • Operações de swing trade pagam imposto de renda?
  • Conclusão

Boa leitura!

swing trade

O que é swing trade?

Muito se fala que o swing trade é uma das principais operações de entrada no mercado de renda variável, pois, a partir dela, investidores de pequeno patrimônio (iniciantes) podem com relativa facilidade perceber a capacidade de geração de valor da renda variável e também a volatilidade do mercado nas oscilações dos preços.

Como também, essa operação pode entregar aos novos investidores boas rentabilidades no curto prazo, muito desejada por aqueles que esperam multiplicar rapidamente o patrimônio em um curto espaço de tempo. Mas calma, vamos passo a passo com o conceito desta operação.

O swing trade é nada menos que uma operação de compra e venda de ativos e/ou derivativos que se determina pelo tempo em que essa operação foi realizada, neste caso, no curto prazo.

Mas o que seria esse curto prazo?

É de conhecimento entre os investidores que esse curto prazo é definido entre mais de 1 dia e menos de 1 mês.

Isso porque, nas negociações de ativos e/ou derivativos que se dão dentro de um mesmo dia ou acima de 1 mês, temos respectivamente, as operações de day trade e position trade. Mas por enquanto, mentalizem essas operações apenas para compreender os prazos de operação referente a um swing trade, pois mais a frente vamos compará-las e diferenciá-las.

Além de compreendida no curto prazo, o swing trade consiste em uma operação que é guiada pelas tendências e oportunidades de mercado. Ou seja, o investidor swing trader é aquele que, a partir de uma análise bem estruturada, consegue capturar para si essas oportunidades de investimento geradas pelos ativos/derivativos no curto prazo.

Notem que o swing trade pode ser facilmente entendido como o meio termo entre os dois principais estilos de operação no mercado financeiro, aqueles que investem no curto prazo especulando as movimentações do papéis em busca de auferir o máximo lucro possível em oscilações ao longo do dia, e, aqueles que investem no longo prazo seja por empresas com alto crescimento esperado para a valorização de patrimônio seja por empresas promissoras que pagam dividendos e geram renda passiva.

Swing Trade

Vantagens e desvantagens da operação

Uma das principais vantagens de operar por swing trade não necessariamente está atrelada ao ganho nas operações, mas sim, à maleabilidade permitida por esse tipo de operação. Isso porque, considerando que o investidor tem um trabalho que lhe gera a renda para os investimentos, os prazos das operações de swing trade e sua filosofia de investimento, permite que o investidor se distancie do home broker, o que não se percebe nas operações de day trade.

Day Trade

Outra vantagem é em relação aos custos de operação, pois, há corretoras de valores que cobram taxas de corretagem sobre cada operação. Novamente, como no day trade são realizadas várias operações ao longo do dia, há um considerável custo com essas taxas de corretagem que, quando comparamos ao swing trade, não temos um custo tão relevante, haja vista que os prazos de operação são mais extensos e se demandam poucas ordens de compra e venda.

Dentre as desvantagens temos certamente o manejo de risco, que a depender da seriedade do investidor e de seus gatilhos psicológicos com as oscilações de mercado, pode facilmente sair do manejo. Um exemplo disso, é o swing trader que ao verificar o mercado entregando uma tendência de alta superior ao que sua análise indicava, prolongar o prazo da operação e por uma mudança repentina do cenário de mercado perder a sua rentabilidade que estava “garantida” dentro de sua análise e até mesmo ir à prejuízo na operação que foi aberta.

Uma outra desvantagem desse tipo de operação é que para auferir ganhos massivos de capital (pensando em transformá-los como a única renda, por exemplo) com as corriqueiras operações de swing trade se demandará um quantitativo de patrimônio elevado, superior às dezenas de milhares, o que se torna pouco atrativo para investidores que não podem comprometer grande parte de sua renda nessas operações de risco.

Como fazer swing trade

Começando da base, é necessário que o investidor possua seu patrimônio depositado em uma corretora de valores, pois é a corretora que irá fazer a ponte entre o patrimônio do investidor e as ações e/ou derivativos negociados no mercado. Além disso, em linha com o que citamos acima, ter conhecimento das taxas de corretagem que serão cobradas sobre cada ordem.

No mercado financeiro existem diversos tipos de ativos (ações) e derivativos (opções de compra e de venda) que podem ser alvos dos investidores swing traders, mas para facilitar o seu entendimento vamos abordar apenas as ações, haja vista que as opções demandam um conhecimento mais aprofundado e abordagem mais técnica.

Citamos no início do texto que as operações dos investidores podem ser guiadas tanto pela escola fundamentalista como a escola técnica (ou por ambas, mas para efeito de exemplo, vamos utilizar a dualidade). No caso do swing trade, é a escola técnica que se fará mais presente, pois o swing trader precisa identificar a partir da leitura dos gráficos a tendência que as ações irão entregar.

Day trade

No day trade a análise técnica é completamente presente e utilizada, e lá, os investidores costumam utilizar a leitura dos gráficos intradiários, pois é possível verificar as oscilações dos papéis (ações) em intervalos de minutos. No caso do swing trade, o investidor também pode utilizar esse tipo de gráfico para estudo e mapeamento de tendências, mas, por conceitualmente ser uma operação mais longa que o day trade, utilizam-se os gráficos intradiários de prazo mais alongado.

Um desses intradiários é o semanal, que pode dar uma visão geral bastante interessante para o investidor swing trader saber como o papel que busca fazer suas operações vem performando no mercado, assim como, a partir de uma análise conjunta de outras variáveis como a análise de fluxo, poderá traçar as tendências de preço que a ação pode se projetar.

Mas veja, para que possa fazer isso, o investidor necessita de ter acesso a alguma plataforma de negociação, pois somente assim ele terá uma boa capacidade de realizar suas análises técnicas em busca da identificação de tendências, assim como, terá como acompanhar o mercado em tempo real, principalmente nos momentos de abertura e fechamento de operações.

Stop loss e stop gain

Um outro ponto extremamente importante nas operações de swing trade, que todos os swing traders deveriam utilizar sempre que abrissem uma nova operação, principalmente aqueles que estão iniciando suas operações no mercado, são as ferramentas de stop loss e stop gain. Isso porque, são estas ferramentas que irão ajudar o investidor a concretizar as suas operações dentro do manejo de risco que almeja.

Como sabemos, os traders, sejam eles de curto prazo ou longo prazo, têm que lidar diretamente com o mercado de renda variável e suas oscilações sejam positivas (alta dos preços) ou negativas (baixa dos preços), seja para consolidar seus retornos seja para proteger o seu capital.

Assim, é o stop loss quem tem a funcionalidade de proteger o capital do investidor, pois essa ferramenta é nada menos que a determinação de um patamar de preço (abaixo do qual foi aberto a operação) em que o investidor precisa encerrar sua operação, pois assim, evitar-se-á maiores perdas frente à tendência baixista que o mercado apresenta no momento.

Da mesma forma no stop gain, a qual tem a funcionalidade de garantir os ganhos do investidor, pois esta ferramenta determina um preço (acima do que foi aberto a operação e na vizinhança do que foi projetado na análise de tendência) em que o investidor deve vender para finalizar a sua operação e efetivar o seu retorno.

Desta forma, mesmo que o mercado estivesse entregando uma forte tendência de alta, é mais interessante ao investidor realizar aquela alta, para que possa garantir seus retornos no investimento.

Diferença entre swing trade, day trade e position trade

No início do texto falamos que o swing trade é definido de acordo com o tempo em que a operação é realizada. E de fato o é, assim como as operações de day trade e position trade. Mas, além do tempo, temos outros pontos mais característicos de cada tipo de operação que podemos pontuá-los com o intuito de evidenciar as diferenças de estilo das mesmas.

Day trade

Como podemos visualizar na imagem abaixo, o day trade é uma operação de curto prazo que não passa de 1 dia, ou seja, o investidor abre e fecha suas operações sempre no mesmo dia e nunca possui uma operação aberta de um pregão para outro.

Uma outra característica do day trade é que os investidores desse tipo de operação sempre estão em busca de maximizar os seus lucros em cada compra e venda realizada. Diferentemente do position trade, que se caracteriza por ser uma operação de longo prazo com vários meses carregando aquela operação, e, consequentemente, a operação fica aberta por vários pregões.

Position trade

Caracteristicamente, o position trade possui uma análise diferente do day trade e swing trade, pois o foco não é a tendência e sim o fundamento. Além disso, os investidores ou buscam renda passiva por recebimento de dividendos ou valorização do patrimônio empregado naquela ação ao longo do tempo com o crescimento da empresa e entrega de seus fundamentos.

Swing trade e imposto de renda

Além das taxas de corretagem para o lançamento das ordens nas corretoras, há também a possibilidade do investidor que opera através de swing trade ser taxado pelo imposto de renda e precisar emitir o Documento de Arrecadação da Receita Federal, popularmente conhecido como DARF.

Mas veja, os investidores só precisarão pagar DARF se ao longo do mês o total de vendas, seja de ativos seja de derivativos, realizadas pelo investidor supere os R$ 20 mil. Assim, o investidor swing trader terá um custo de 15% sobre o seu lucro líquido referente ao pagamento de tributos. No entanto, caso as operações do investidor tenham resultado em prejuízo, há isenção fiscal.

Conclusão

Enfim, o swing trade é uma operação muito atrativa para aqueles investidores que buscam rentabilidade no curto prazo com certa tranquilidade no sentido de conciliar outros afazeres como o trabalho por exemplo, pois o perfil da operação dá uma maior liberdade de distanciamento do home broker (local onde se acompanha as movimentações e se realizam as operações do mercado) que não é percebida no day trade. Assim como, atende à uma rentabilidade esperada próxima aos padrões de longo prazo, mas, no curto prazo.

Pablo Paz
Pablo Paz
Estagiário do TradersClub
Estudante de Economia da UFPB e membro do Projeto Quantum

TC School

A sua escola como investidor.

Disclaimer: Este material é produzido e distribuído somente com os propósitos de informar e educar, e representa o estado do mercado na data da publicação, sendo que as informações estão sujeitas a mudanças sem aviso prévio. Este material não constitui declaração de fato ou recomendação de investimento ou para comprar, reter ou vender quaisquer títulos ou valores mobiliários. O usuário não deve utilizar as informações disponibilizadas como substitutas de suas habilidades, julgamento e experiência ao tomar decisões de investimento ou negócio. Essas informações não devem ser interpretadas como análise ou recomendação de investimentos e não há garantia de que o conteúdo apresentado será uma estratégia efetiva para os seus investimentos e, tampouco, que as informações poderão ser aplicadas em quaisquer condições de mercados. Investidores não devem substituir esses materiais por serviços de aconselhamento, acompanhamento ou recomendação de profissionais certificados e habilitados para tal função. Antes de investir, por favor considere cuidadosamente a sua tolerância ou a sua habilidade para riscos. A administradora não conduz auditoria nem assume qualquer responsabilidade de diligência (due diligence) ou de verificação independente de qualquer informação disponibilizada neste espaço. Administradora: TradersNews Informação & Educação Ltda. Todos os direitos reservados.

TradersClub

O app essencial para investidores do mercado financeiro brasileiro.

Uma comunidade com milhares de investidores, ferramentas e serviços que vão ajudar você a investir melhor!

TradersClub